Arquivo mensal: novembro 2014

VIAJANDO DE ÔNIBUS PELO BRASIL

O PROBLEMA DOS ÔNIBUS NÃO É PASSAGEIRO

Eu viajo de ônibus há pelo menos 55 anos e, até onde me lembro, jamais presenciei ou sequer ouvi dizer que houve algum tipo de pesquisa ou enquete para se saber o nível de satisfação dos passageiros de ônibus rodoviários. A cada ano, novos e cada vez mais bonitos e sofisticados ônibus são apresentados aos usuários numa espécie de concorrência para ‘encantar’ o passageiro, mas nunca se questionou o que é que realmente o passageiro precisa ou gostaria de ter no interior dos ônibus quando viaja, especialmente quando a viagem é longa. Há ônibus que mais se parecem com naves espaciais, sua aparência realmente é impressionante, mas é só aparência. Neste artigo, vou expor um pouco do que realmente acontece nos ônibus, rodoviárias, pontos de parada, bom como outros aspectos desse Universo Viajeiro, que outrora já foi romântico e poético, mas hoje em dia é um verdadeiro suplício. Empresas de ônibus não tem a menor consideração pelos passageiros. Animais e gado são transportados mais ‘humanamente’ do que pessoas. Tenho certeza de que os engenheiros e técnicos que participam no desenvolvimento dos projetos dos ‘moderníssimos e encantadores’ ônibus, jamais viajaram de ônibus para onde quer que seja.


Cometa-3300Por fora bela viola

O aspecto exterior dos ônibus realmente impressiona. Há pelo menos cinco fabricantes de ônibus no Brasil, mas parece que é um só fabricante, porque o design básico é sempre o mesmo. Todos são muito parecidos quando vistos por fora e mais parecidos ainda por dentro. O que ajuda a diferenciar um pouco é a existência do terceiro eixo e, mais recentemente, do quarto eixo. No mais, não importa se é Busscar, Marcopolo, Irizar ou Comil, todos são motorizados pelos tradicionais motores fabricantes-onibusScania, Volvo, Mercedes Benz e Volkswagen. Pouco importa a empresa que você escolhe para viajar, essa escolha é puramente uma ilusão. Mas as empresas, através de seu marketing, valorizam excessivamente a parte externa dos ônibus, como se isso fizesse alguma diferença para o passageiro.


poltrona de ônibusPor dentro, pão bolorento

No fundo, não importa se você escolhe viajar pela Cometa ou pela Itapemirim, pela Garcia ou pela Eucatur, não há diferença nenhuma em termos de conforto interno a não ser em raríssimos casos, pois os ônibus são produzidos apenas por quatro ou cinco fabricantes seguindo o mesmo design básico. As poltronas, apesar de muito bonitas, são feitas sob medida para europeus viajarem e não para brasileiros. A estatura média dos brasileiros é cerca de dez centímetros menor que a dos europeus. O assento é muito alto em relação ao piso e a maioria dos passageiros fica com fortes dores nas pernas e nos joelhos logo nos primeiros quilômetros de viajem, o que os obriga a adotarem posições mais desconfortáveis ainda durante a viagem. Muitos passageiros, quando a poltrona ao lado está desocupada, utilizam-na para manter as pernas esticadas e tentar assim suportar um pouco melhor opoltronas-1 desconforto da viagem. Quando há descanso para as pernas, como visto na foto acima, este é feito de tecido liso e as pernas não conseguem nunca ficar descansando sobre o mesmo, pois escorregam para os lados o tempo todo. E quando o passageiro decide não utilizá-lo, este se torna mais um objeto a diminuir o já escasso espaço do passageiro. Quando se viaja a noite em um ônibus com lotação parcial, é um festival de pernas e pés pelo corredor do ônibus e quando um passageiro se levanta para ir ao banheiro precisa ser extremamente cuidadoso (no escuro) para não machucar alguém ou a si mesmo. A distância entre poltronas também é um ultraje. Se o passageiro da poltrona imediatamente à frente decide recliná-la totalmente, o encosto fica a apenas 25cm do rosto do passageiro de trás, o que gera uma sensação confinamento (claustrofobia). Se este passageiro (o de trás) quiser tirar os sapatos, simplesmente não consegue alcançá-los porque não há espaço físico para se curvar e se abaixar. Se o passageiro estiver sentado na poltrona do lado da janela e houver outro passageiro sentado na poltrona do lado do corredor, sem chance, ele estará completamente confinado, tipo bezerro de vitela.


pelicula_protetora___graus___copiaInsulfilme prejudica a visão

Um dos grandes atrativos de se viajar de ônibus, é a possibilidade de apreciar as paisagens, coisa quase impraticável para quem viaja dirigindo seu próprio veículo. Entretanto, com o advento do insulfilme, os vidros das janelas dos ônibus são todos ‘filmados’ o que de certa forma é bom, pois reduz parte da radiação nociva da luz solar e prejudica menos os olhos. Mas quando a viagem é feita à noite, o passageiro perde a oportunidade de apreciar o céu e as estrelas, pois o insulfilme reduz demasiadamente a visão. Mesmo que esteja um belíssimo céu, profusamente estrelado, em noite de Lua Nova, o passageiro perde totalmente o espetáculo, pois só é possível ver as estrelas mais brilhantes e de forma bem difusa, como se fossem borrões. Novamente, sinto saudades dos tempos em que os vidros das janelas eram apenas vidros e podia-se abrir as janelas para tomar um vento fresco no rosto.


manta-02Ar condicionado para que?

Uma coisa com a qual eu nunca consegui me adaptar nesses ‘moderníssimos’ ônibus é o tal do ar condicionado. Ele foi cuidadosamente projetado para irritar o passageiro de todas as formas possíveis. Se o passageiro está sentado próximo à janela, há um fluxo (corrente) de ar que incide diretamente nos seus ombros e depois de algum tempo os ossos começam a doer. Se a poltrona ao lado estiver vazia, o passageiro pode se ‘esquivar’ da corrente de ar mas agora a corrente de ar começa a lhe atingir na coxa e a mesma começa a doer, então torna-se necessário um cobertor. Não é raro ver pessoas viajando com cobertores, mesmo em dias de calor.  Isso sem falar dos motoristas ‘abestados’ que, em dias de muito calor, ajustam a temperatura do ar para 17°C. Isso pode ser muito gostoso nos primeiros minutos, quando você entra no ônibus, principalmente quando está um calor dear-gelado 38 graus do lado de fora, mas depois de algum tempo o passageiro fica ‘aclimatado’ à nova temperatura e então começa a tremer de frio. Numa viagem de apenas duas horas entre Joinville e Curitiba, me senti como um boi numa câmara frigorífica. Literalmente as pessoas são transportadas como gado. E ainda há um agravante: o frio é distribuído de forma desigual ao longo do comprimento do ônibus, portanto os que estão nas extremidades (frente e traseira), sofrem ainda mais. E como há pessoas ‘calorentas’ e outras ‘friorentas’, se você reclamar com o motorista, ele irá dar a desculpa de que se a temperatura for ajustada para um nível mais confortável, cerca de 23°C, vários passageiros vão reclamar de que ‘agora está muito quente’. Tenho saudades do tempo em que os ônibus tinham janelas que se podia abrir para entrar um vento.


onibus-movido-a-esgotoA democratização do mau cheiro

Tenho a nítida impressão de que o sistema de ar condicionado dos ônibus foi cuidadosamente planejado  para ‘sugar’ o ar do banheiro e espalhá-lo por toda a cabine de passageiros, excluindo a cabine do motorista, é claro. Basta que um passageiro vá ao banheiro e dê uma ‘boa cagada’ e pronto! O ônibus inteiro fica literalmente ‘cagado’. O mau cheiro é insuportável. Depois de algum tempo o mau cheiro diminui, mas a cada novo passageiro que faça uso do banheiro para esvaziar os intestinos, a coisa vai ficando cada vez pior. Imagine você viajar de São Paulo a Porto Alegre, mais de 1.100 Km! Certa vez, numa viagem de apenas quatro horas entre São Paulo e Jaú, já na segunda hora de viagem, nem o motorista aguentava mais e teve que conduzir o ônibus à garagem para trocar o banheiro químico. A sensação era a de estar viajando dentro de uma privada cheinha de merda e sem possibilidade de se dar a descarga.


petropenExplorando o viajante

Os pontos de parada para lanches e refeições são na verdade, pontos de exploração do viajante, dados os preços praticados. Mas há alguns lugares que oferecem em troca, bom atendimento, alimentos e lanches frescos e de boa qualidade. Entretanto, há lugares em que não é possível nem mesmo se tomar um cafezinho. Falta higiene e os alimentos (salgados) são visivelmente ‘não frescos’, restando ao passageiro apenas a opção de comprar produtos industrializados, tais como bolachas, salgadinhos, doces, etc. E paga por esses produtos preços que são uma verdadeira afronta. Vejamos um exemplo: uma garrafa de 500ml de água mineral é vendida nos ‘mercados de vila’ por R$ 1,00 a 1,50 (já paguei até R$ 0,90) já incluída aí a margem do comerciante. Em algumas rodoviárias ou locais de parada, a mesma água é vendida por aviltantes R$ 4,00 (Quatro Reais). E essa prática se estende a todos os demais produtos comegraalrcializados nesses locais. É sabido que nesses locais, o atendimento é de 24 horas, com funcionários trabalhando em pelo menos três turnos, o que torna os custos altíssimos para o comerciante, portanto é perfeitamente compreensível que as margens praticadas sejam maiores, mas o que acontece na prática é a prática de ‘preços abusivos’, uma espécie de suicídio comercial, pois os altos preços inibem o consumo e os produtos ficam mais tempo nas prateleiras. Se os preços praticados fossem mais justos, haveria maior giro e ambos seriam beneficiados, consumidor e comerciante. Mas o que prevalece é o ‘cérebro reptiliano puro’. Não se explora o negócio de viagens e turismo, explora-se o viajante e o turista.


viacao-reunidas-9Esticando as pernas

E falando em pontos de parada para descanso e lanche, grande número de empresas de ônibus não respeita os tempos máximos de permanência dos passageiros dentro do veículo, que é de quatro horas, preferivelmente menos. A Reunidas, por exemplo, em seus trajetos entre São Paulo e o sul do Brasil, fazem uma parada no Graal Buenos Aires em Registro/SP e depois só vão fazer nova parada para o passageiro, cerca de oito horas depois, já em Porto União/SC ou União da Vitória/PR. Há uma parada técnica em Curitiba mas os passageiros são impedidos de descer. A viagem se torna extremamente cansativa e penosa para as pernas. A mesma empresa Reunidas, em seu trajeto Chapecó/Joinville, faz ainda pior: o ônibus pára em todas as rodoviárias do trajeto, passa a noite inteira parando de rodoviária em rodoviária e somente depois que o passageiro foi bastante ‘judiado’, é feita uma parada para lanche já quase amanhecendo o dia. O motorista pára o ônibus em Xaxim, pára em Xanxerê, pára em Faxinal dos Guedes, pára em Ponte Serrada, pára em Catanduvas,lopes5 pára em Joaçaba, pára em Campos Novos, pára em Curitibanos, pára em Rio do Sul, pára em Indaial, pára em Blumenau, pára em Jaraguá do Sul e, finalmente, pára em Joinville. Parece que o motorista não vai mais parar de parar. Além disso, a passagem é extremamente cara. Sai mais barato e bem menos desconfortável, ir de Chapecó a Curitiba e depois, de Curitiba a Joinville. Chega-se em Joinville no mesmo horário, mas sofre-se bem menos e ainda se economiza algum dinheiro. Outro exemplo é a empresa Lopestur, que no trajeto de Chapadão do Sul/MS até Maringá/PR, cerca de 12 a 13 horas de viagem, pára apenas duas vezes para o passageiro almoçar e jantar. Mas, durante o trajeto, o motorista pára em todas as rodoviárias que encontra pelo caminho. Haja saco. Nem vou mencionar aqui outras empresas, pois o artigo ficaria por demais extenso, mas essa prática (a de não parar para o passageiro) é muitíssimo comum.


rodoviaria-paranaguaO conceito de tempo

Um fenômeno que vem acontecendo ultimamente e que não faz sentido, é a retirada dos relógios das rodoviárias. A rodoviária de Curitiba/PR, depois de passar por uma reforma por quase dois anos que não trouxe nenhuma melhoria, apenas foram acrescentadas escadas rolantes e catracas ‘verificadoras’ de passagens na área de embarque, teve todos os seus relógios retirados e não foram substituídos. Se por alguma razão, o passageiro não tiver um relógio ou estiver sem um celular, precisa ficar perguntando as horas aos transeunterodoviaria-presidente-prudentes, o que é bem desagradável. Na rodoviária de Paranaguá/PR (foto acima), o relógio simplesmente foi retirado sem motivo algum, e não foi substituído. Na rodoviária de Maringá não há relógios, apesar de ser uma rodoviária nova e com lay-out moderno, o mesmo se repetindo na rodoviária de Chapadão do Sul/MS. Alguém explica isso? Como pode não haver relógios justamente em locais de grande circulação de pessoas e onde horário é um fator importantíssimo? Outra coisa que se observa em algumas rodoviárias de cidades com grande fluxo de pessoas, é a falta de identificação da cidade. Quem chega nas rodoviárias de Chapecó/SC ou PRodoviaria_Chapecoresidente Prudente/SP, se estava cochilando um pouco antes, não tem a menor ideia de onde está. No caso da rodoviária de Presidente Prudente, está escrito em letras grande e bem visíveis o nome do sujeito homenageado quando da construção do terminal, mas não há identificação da cidade. Terminal Rodoviário Comendador José Lemes Soares. O que me interessa saber disso? O que eu quero saber é o nome da cidade em que cidade acabo de chegar. Na rodoviária de Chapecó não há sequer algo escrito, é uma incógnita. Isso para citar apenas duas. São incontáveis ocorrências iguais a essa por esse Brasil afora.


paradapramijarParada para mijar

Em trajetos curtos o passageiro não precisa mijar e não tem a menor necessidade de ter necessidades. Esse é o pensamento dos gerentes de itinerário da empresa Viação Cometa, pois os ônibus que fazem os trajetos de São Paulo/Jundiaí e São Paulo/Campinas simplesmente não tem banheiro. O raciocínio em parte está correto por se tratar de trajetos curtos, não fosse por um detalhe: São Paulo é uma cidade de congestionamentos monstros, de longos minutos de espera em filas e mais filas de carros parados nas principais vias, desde a Capital até Campinas, onde o problema de trânsito não é menor. Basta um pequeno acidente para que se fique parado por pelo menos meia hora na estrada. Então como é que fica o passageiro que pensando ser um trajeto curto e rápido, não se ‘preveniu’ antes? Simplesmente ele fica passando mal dentro do ônibus. Eu mesmo já passei por uma situação assim numa curta e rápida viagem de Campinas a São Paulo. Quando finalmente consegui chegar a um banheiro para me aliviar, eu estava quase transito-rodovia-bandeirantesdesmaiando de dor na bexiga. Dia desses, recentemente, numa viagem de Curitiba a Campinas passando pelo Terminal Tietê em São Paulo, desci do ônibus vindo de Curitiba, subi nos guichês, comprei a passagem para Campinas e desci rapidamente para embarcar pois o carro já estava quase de saída. Não tive tempo de ir ao banheiro no terminal e já estava meio ‘a perigo’ mas, para minha sorte, tive o bom senso de perguntar antes ao motorista se no ônibus tinha banheiro, ao que ele me respondeu que não. Então respondi: “Então não vou embarcar, esquece. Vou trocar a passagem. Pode ir embora”. Subi novamente nos guichês e o funcionário que cuzao-atras-da-mesame atendeu acabou ouvindo poucas e boas, apesar de não ser ele o culpado de tamanha imbecilidade. Troquei a passagem por outra em um ônibus com destino a uma cidade bem mais adiante, não me lembro agora qual, mas com a garantia de que haveria um banheiro. Como pode uma empresa como a Cometa ainda manter esse tipo de política? Isso era assim há trinta anos e é assim ainda hoje, nada mudou. Isso, com certeza, é o pensamento típico de um engenheiro ‘cuzão’ que fica sentado atrás de uma mesa em uma sala com ar condicionado e nunca na vida viajou de ônibus. Só pode ser!


viacao-sao-geraldo-fotoOs casos de sucesso

Para não dizer que não falei de flores, vou descrever uma que eu considero a melhor viagem que já fiz na vida. Foi de São Paulo a Salvador pela empresa São Geraldo. Sempre ouvi dizer que a empresa não tinha uma boa reputação, que era uma “Viação Cata Corno”, por isso, quando quis viajar a Salvador, fiquei bastante apreensivo quando soube que a única empresa que fazia o trajeto era a São Geraldo. Mas a viagem estava decidida então tive que ir. Em todo o trajeto, são quatorze paradas com intervalo entre as paradas de não mais que três horas e meia. Omilho-vapza intervalo entre algumas das paradas é de pouco mais de duas horas, de modo que os passageiros quase não precisam utilizar o banheiro do ônibus. A cada três paradas, o ônibus era recolhido à garagem e quando voltava, havia sido feita uma faxina em seu interior e o banheiro estava limpo e devidamente abastecido com papel toalha e papel higiênico. Os motoristas, funcionários e prepostos, sempre muito atenciosos com os passageiros. Os locais de lanche e alimentação nas paradas eram simples mas eficientes, vários deles tinham para vender coisas bem comuns e simples (e gostosas), tipo milho assado na brasa ou milho cozido emmilho-cozido espigas, e que a gente come de pé, mesmo, ao ar livre, o tipo de lanche que nos faz sentir bem à vontade, além de estimular as pessoas a conversarem a fazerem amizades. O grande número de paradas favorece a interação entre as pessoas e se faziam amizades facilmente. Isso sem falar num ‘causo’ com uma guria, na viagem de volta a São Paulo, o que me rendeu cerca de trinta horas de beijos e ‘amassos’ bem gostosos. Não sei se ainda é assim, mas fica aqui o meu registro, bem como os meus sinceros elogios à essa empresa que, com seus procedimentos contribui para tornar a viagem mais agradável e até mesmo inesquecível, seja para o turista, seja para o viajante.


A máfia do transporte de passageiros

logo-viacoesAs empresas de ônibus, em sua maioria absoluta, são sociedades anônimas (S/A) e são, portanto, controladas por um reduzido número de acionistas majoritários, cujo único interesse é o lucro, mais nada. Se for feita uma correlação entre as diversas empresas de ônibus de todo o Brasil, se chegará a um número bem reduzido de ‘Share Holders’, talvez não mais de meia dúzia. Uma verdadeira máfia, que nos últimos quarenta anos monopolizou o transporte de passageiros no Brasil, eliminando toda e qualquer possível concorrência em detrimento dos direitos dos passageiros e viajantes. Hoje no Brasil praticamente só existemDSCF0380 duas opções para se viajar: Avião ou ônibus. Trens de passageiros, muito comuns até os anos 50, foram desativados. Transporte por navios costeiros, desativados. Transporte por barcos, desativados, só permanecendo em regiões onde são a única alternativa além dos voos. Mas recentemente, houve uma vitória para os passageiros e viajantes: a travessia Guaíba/Porto Alegre que antigamente era feita por barcos e estava desativada há décadas, foi reativada com moderníssimos catamarãs. Agora se pode fazer a travessia do Guaíba em apenas vinte minutos e com muito conforto, o que antes levava uma hora de ônibus, desde que não ocorressem imprevistos, como congestionamentos, Ponte-rio-guaibaacidentes, ou parada na Ponte Getúlio Vargas para passagem de embarcações de grande porte. Então, desde que haja lucro, não importa o que os funcionários, motoristas e propostos da empresa estejam fazendo, nem como estejam fazendo. Há incontáveis relatos de abusos incidindo sobre funcionários e motoristas, que trabalham demais, não descansam o suficiente, sofrem descontos em seus salários por qualquer pequena falta, como por exemplo, o caso mais absurdo que já ouvi: se o funcionário da empresa prever um grande fluxo de passageiros para um determinado itinerário e colocar um carro extra à disposição, caso o carro não atinja a lotação mínima, a diferença é descontada do salário do funcionário, o que inibe completamente sua iniciativa em prol do conforto dos passageiros. Resumindo: o problema das empresas de ônibus não é passageiro.


Anúncios

ADAM SMITH X JOHN NASH (ENG)

Social Engineering

In 1776 Adam Smith writes The Wealth of Nations “with the theory of the invisible hand that regulates everything on the planet. But Adam Smith did not become with it, only the father of modern economics with the emergence of social Darwinism that where such invisible hand that regulates everything” was the setting for the poor, blacks and women somehow justify their lack of adaptation’ to the social environment, to the law of evolution where can only survive the species more skilled. Adam Smith influenced many sectors of the society and recently I realized that the self-help books I read so much about teenage had a very significant part of this theory. Then at the end of his life seems he wanted or realized the loopholesof his then famous book The Wealth of Nationsand wrote the Theory of Moral Sentimentsbut it seems that did not have the same impact as the first that satisfies well over expectations of status quo of the social elite. Today after several economic theories where even the characters of Catholic church as Thomas Aquinas has a captive chair with his theory of the just price” and his criticism of the supply and demand system was more maturely approached by John Locke hundreds of years later. Now after millennia of economic theories and the great geniuses with their famous phrases, we have the same economic scenario where the privileged are increasingly privileged and the exploited are increasingly alienated to remain exploited. And yet the contrast increases when we see geniuses of modern economics as John Forbes Nash, who is even Nobel Prize in economics in 1994, simply being ignored by pages of academic research as Wikipedia. John Nash is the author of the theory of games and the Nash Equilibriumthat is a situation where, in a game involving two or more players, no player stands to gain by changing his strategy unilaterally. To better understand this definition, suppose there is a game with n participants. During this game, each of n participants select their optimal strategy, ie, one that brings you the greatest benefit. So if each player reaches the conclusion that he has no way to improve his strategy given the chosen n1 by their opponents strategies (strategies of the opponents can not be changed) then chosen by the participants of this game strategies define a ‘Nash equilibrium . That is, an interaction with two or more people which will ensure the best outcome is when everyone in the group do not only what is best for himself but also for others. John Nash says further, the calculation with the same variable offers several solutions for the same problem“, just that it is more likely to happen from the moment that everyone in two or more social situations is really willing to work and not sabotage everything as happens when a member for personal or not, matters not feel at a disadvantage in the situation, or just want all the benefits for himself.

Josiane-silva

Joseane Silva

Extracted text in full, with minor corrections made by me, from the blog LIVRES PENSADORES, whose link is below.

http://livrespeansadores.blogspot.com.br/2013/10/o-equilibrio-de-nash-teoria-dos-jogos-x.html

Note: I found today , 03.04.2016 , the blog “Livres pensadores” has been removed . I could not find another valid link.


GNU+croc-wildebeestA struggle of life and death

On the River Nile, North Africa crocodiles live in large numbers. They are huge predators, some individuals being up to thirty feet. They are carnivores, of course, and their main food is the wildebeest which annually cross the rivers in their migratory movements. Despite being predators, crocodiles live in perfect harmony with nature. These huge animals cooperate with each other in obtaining food and respects the rules of coexistence with other animals in nature. There are numerous videos on YouTube (Animal Planet) showing scenes from the daily lives of crocodiles. For example, they expect a whole herd of wildebeest cross the river and attack the last individuals, those weaker or tired, the laggards. But here is a curious fact: only a crocodile attacking a Wildebeest. A struggle of life and death where the Gnu almost always loses out.. Yes, mostly because there are situations where the Gnu can escape death. It is curious to note that when a crocodile is overwhelming a Gnu, other crocodiles do not interfere. They stay all watching the fight. It is a struggle of one against one. It’s not an unfair fight. The crocodile uses all his strength to try to subdue the Gnu and this uses all his strength to try to escape at any cost. Sometimes this fight lasts more than an hour, and like crocodilo8any other fight, there are times when the crocodile is winning and there are times when the Gnu is winning. If the Gnu is unable to escape, it will be eaten. Only after the fight is set, that is, only after the gnu is completely overwhelmed, is when the other crocodiles approach and begin to split’ the meal. It’s amazing that even in the world of predators, there may be fairness and sharing of food. Although they have never met a guy named John Forbes Nash, the crocodiles know and apply the Nash Equilibriumin their relationships with their peers and with the environment. Therefore, year after year they all live well, the community thrives, and there is food for everyone.


crocodilo2How to ruin a community of crocodiles

Crocodiles, like other reptiles, are beings whose brain structure is very simple and primitive. Only reptilian brain. There is no limbic brain (emotional) or cortex (rational). They are animals completely cold and emotionally empty. Their biological functions are simply feeding, mating and defending the territory. They do not have any form of communication or expression, language or whatever it is. And yet, they can naturally apply a principle of mutual cooperation, which puts us humans at a disadvantage because we are taught from early years just to compete, compete, compete, rarely cooperate. Now imagine that you can teach something to a crocodile. Imagine that you can take two individuals in the community, two alpha males, and teach to one of them, philosophy of Adam Smith. To the other individual would be given a course of Theology and would be given him a Bible. Now that both are properly graded, one with PHD in economics and another with PHD in Theology, release them in the community and leave them there. Go back a year later to see the result.


crocodilo1One year later

When you get back there in the community of crocodiles, you will have a rather unpleasant surprise: you’ll find a significant portion of individuals in abject poverty. No more wildebeest, plus there’s an absurd food shortages. What happened with Gnus? A halfdozen crocodiles, led by PHD in economics (remember?), decided to set up a great company to beneficiate Gnus. Gnus are captured, stored in cold storage (refrigerator) and then sold at gold price to the other crocodiles in the community. As it is a large company, several smaller firms had to be established, obviously for some more smart’ crocodiles, to attend the needs of the largest enterprise with inputs, gnus-chegando-outra-margemmachinery, maintenance, supply of labor, etc. Crocodiles quickly learned the philosophy of Adam Smith, because there is even a database of unemployed labor crocodiles, which ensures that those employees will be well resigned and lay low and will not make many claimsTraining courses have also been introduced so the crocodiles who want to have a job and so they could buy a juicy Gnu, will have to be properly trained. For those who are not qualified, it remains only to be self-employed (but how?).


crocodilo5The Chief and the Shaman

But how is is possible that crocodiles have accepted all this inversion of values in their society? Simple: because they have primitive brains and are suggestible and easily influenced by fear. Remember the crocodile with PHD in Theology? Yeah … He joined the crocodile with PHD in economics and together they created a structure of type “Chief and Shaman.” The chief hired the hippos to be the local police. Hippos, although not carnivores or predators, are a well-tempered animals. A bite from a hippo can divide a crocodile in half, then the crocodiles, which previously coexisted peacefully with the hippos in a climate of respect, now fear hippos, as they are at the service of Chief. The Shaman, undertook the brainwashing’ of crocodiles, relatively easy task since crocodiles have no nhippo-police-officer-with-gun_145115827eocortex, so they do not think or reason. They have only two basic reactions or primitive emotions; fear and aggression. So it is very easy to insert in their primitive minds the concepts of ‘sin’, hell’ and ‘guilt’. Once inserted these concepts, it is extremely easy to control them and convince them to accept their condition as slaves’ in a system of the proletariat. Once inserted these concepts, the fear will be responsible for keeping them indefinitely in their psychological structure and aggression will take care to protect them from any attempt to deconversion’. Is also easy to insert in their primitive minds the concept of ‘hope’ and so, in the days of reptilian cult, waving with The Return of the Great Alligator‘, a crocodile of a divine kind, that one day many years ago walked on the waters of the Old Nile, hunting Wildebeest and sharing’ with underprivileged. Thus, the crocodiles remain conformal and resignedly awaiting the returngreat-alligator of Great Alligator” and, on the day when He returns, there will be no more hunger or poverty, or slavery. There will be a juicy Gnu for each crocodile. And they will wait forever because once the structure of Social Darwinism has been established, based on the philosophy of Adam Smith on the crocodiles society, there is no possibility of return, even in the long term. Things tend to get worse and worse, but anyway, there is ‘hope’. They say that hope is the last to die and it is because hope dies along with the resigned crocodile, who spent a lifetime waiting for the return of the Great alligator”.


bolsa-de-gnusEvolution of society

Meanwhile, crocodiles society evolves. Now there is an Exchange Gnusbased on ‘Nile Street’ and its main speculators earn a lot of money at the expense of the work of proletariancrocodiles. As Nile Street speculators have refined taste, they order young female alligators from “Pantanal” and pay a small fortune just to have sex. Some prefer the eastern, so they order female Malaysian crocodiles. Nile Street speculatocrocodilo (1)rs do not eat Gnus, anyway Gnu is food for poorer proletarian’ crocodiles, so they order anywhere in the world, not caring about the freight, paws crab‘ by a mere cost of US$ 400 to dish, freight not included. They are also very strict about dress, so they use expensive sports shoes made of crocodile leather! Their females, also very demanding, use purses and belts made of crocodile leather! This Nile Street’ staff literally tear the leather’ of the people shamelessly.

.


adam-smith-en


john-forbes-nash


ADAM SMITH X JOHN NASH (PT-BR)

Engenharia Social

Em 1776 Adam Smith escreve o livro A riqueza das Nações” com a teoria da ‘mão invisível’ que regula tudo no planeta. Mas, Adam Smith não se tornou com isso, apenas o pai da economia moderna com o surgimento do darwinismo social onde nessa tal “mão invisível que regula tudo” a regulagem era para que os pobres, negros e mulheres justificassem de alguma forma a sua ‘falta de adaptação ao meio social, a tal da lei da evolução onde as espécies mais hábeis conseguem sobreviver. Adam Smith influenciou vários setores da sociedade. Recentemente percebi que os livros que tanto eu lia na adolescência sobre auto ajuda tem uma parte muito significativa dessa teoria. Depois, no fim da vida parece que quis ou percebeu as “brechas” de seu até então célebre livro “A riqueza das Nações” e escreveu a “Teoria dos sentimentos Morais”, mas parece que não teve a mesma repercussão do primeiro já que esse satisfaz bem mais as expectativas do status quo da elite social. Hoje depois de várias teorias econômicas onde até personagens da igreja católica como Tomás de Aquino tem uma cadeira cativa com sua teoria do “preço justo” e suas críticas ao sistema de oferta e procura que foi de forma mais madura abordado por John Locke centenas de anos depois. Agora depois da milênios de teorias econômicas e grandes gênios com suas célebres frases, temos o mesmo cenário econômico onde os privilegiados são cada vez mais privilegiados e os explorados cada vez mais alienados para permanecerem explorados. E o contraste ainda aumenta quando vemos gênios da economia moderna como John Forbes Nash, que inclusive é premio Nobel de economia em 1994, estar sendo simplesmente ignorado por páginas de pesquisas acadêmicas como o Wikipédia. John Nash é autor da teoria dos Jogos e do “O Equilíbrio de Nash” que representa uma situação em que, em um jogo envolvendo dois ou mais jogadores, nenhum jogador tem a ganhar mudando sua estratégia unilateralmente. Para melhor compreender esta definição, suponha que há um jogo com n participantes. No decorrer deste jogo, cada um dos n participantes seleciona sua estratégia ótima, ou seja, aquela que lhe traz o maior benefício. Então, se cada jogador chegar à conclusão que ele não tem como melhorar sua estratégia dadas as estratégias escolhidas pelos seus n-1 adversários (estratégias dos adversários não podem ser alteradas), então as estratégias escolhidas pelos participantes deste jogo definem um “equilíbrio de Nash”. Ou seja numa interação com duas ou mais pessoas o que vai garantir o melhor resultado é quando todos no grupo fazem não só o que é melhor para si, mas também para os outros. John Nash diz mais, “o calculo com a mesma variável oferece soluções diversas para o mesmo problema”, só que isso tem mais probabilidade de acontecer a partir do momento que todos em duas ou mais situações de interação social estejam realmente dispostos a colaborar e não sabotar tudo como acontece quando um membro por questões pessoais ou não, se sente em desvantagem na situação, ou quer todas as vantagens somente para si.

Josiane-silva

Joseane Silva.

O texto acima foi extraído na íntegra, com leves correções feitas por mim, do blog Livres Pensadores, cujo link coloco a seguir:

http://livrespeansadores.blogspot.com.br/2013/10/o-equilibrio-de-nash-teoria-dos-jogos-x.html

Observação: constatei hoje, 03/04/2016, que o blog “livres pensadores” foi removido. Não consegui encontrar outro link válido. 


GNU+croc-wildebeestUma luta de vida e morte

Às margens do Rio Nilo, norte da África vivem crocodilos em grande número. São enormes predadores, alguns indivíduos chegando a medir quase dez metros. São carnívoros, claro, e seu principal alimento são os Gnus que anualmente cruzam os rios em seus movimentos migratórios. Apesar de serem predadores, os crocodilos vivem em perfeita harmonia com a Natureza. Esses enormes animais colaboram uns com os outros na obtenção do alimento e respeitam as regras de convivência com os demais animais na Natureza. Há inúmeros vídeos no YouTube (Animal Planet) mostrando cenas do cotidiano dos crocodilos. Por exemplo, eles esperam toda uma manada de Gnus atravessarem o rio e atacam os últimos indivíduos, aqueles mais fracos ou cansados, os retardatários. Mas aqui há um fato curioso: apenas um crocodilo ataca um Gnu. Uma luta de vida ou morte em que o Gnu quase sempre sai perdendo. Sim, quase sempre, porque há situações em que o Gnu consegue escapar da morte. É curioso observar que, quando um crocodilo está subjugando um Gnu, os demais crocodilos não interferem. Ficam todos observando a luta. É uma luta de um contra um. Não é uma luta desleal. O crocodilo emprega toda a sua força para tentar subjugar o Gnu e este emprega toda a sua força para tentar escapar a qualquer custo. Às vezes essa luta dura mais de umacrocodilo8 hora, e como toda luta, há momentos em que o crocodilo está ganhando e há momentos em que o Gnu está ganhando. Se o Gnu não conseguir escapar, vai virar comida. Só depois da luta estar definida, isto é, só depois de o Gnu estar completamente subjugado, é que os demais crocodilos se aproximam e começam a ‘dividir’ a refeição. É incrível que, mesmo no mundo dos predadores, possa haver lealdade e o compartilhar do alimento. Embora nunca tenham conhecido um sujeito chamado John Forbes Nash, os crocodilos conhecem e aplicam o “Reequilíbrio de Nash” em suas relações com seus pares e com o meio ambiente. Por isso, entra ano e sai ano e todos vivem bem, a comunidade prospera, e há alimento para todos.


crocodilo2Como estragar a comunidade dos crocodilos

Crocodilos, assim como outros répteis, são seres cuja estrutura cerebral é bem simples e primitiva. Apenas cérebro reptiliano. Não há cérebro límbico (emocional), nem córtex (racional). São animais completamente frios e vazios emocionalmente. Suas funções biológicas são simplesmente, alimentar-se, acasalar-se e defender o território. Eles não tem qualquer forma de comunicação ou expressão, linguagem ou seja lá o que for. E mesmo assim, eles conseguem aplicar naturalmente um princípio de cooperação mútua, o que coloca nós humanos em desvantagem, pois somos educados desde pequenos a competir, competir, competir, raramente cooperar. Agora imagine que seja possível ensinar algo para um crocodilo. Imagine que seja possível tomar dois indivíduos na comunidade dos crocodilos, dois machos alpha, e ensinar a um deles a filosofia de Adam Smith. Ao outro indivíduo seria ministrado um curso de teologia e seria dado a ele uma Bíblia. Agora que os dois estão devidamente graduados, um com PHD em economia e o outro com PHD em Teologia, solte os dois na comunidade e os deixe lá. Volte um ano depois para ver o resultado.


crocodilo1Um ano depois

Quando você voltar lá na comunidade dos crocodilos, terá uma surpresa deveras desagradável: encontrará uma parcela significativa dos indivíduos na mais absoluta miséria. Não há mais Gnus, além de haver uma absurda escassez de alimentos. O que houve com os Gnus? Uma meia-dúzia de crocodilos, liderados pelo PHD em economia (lembra?) acharam por bem montar uma grande empresa de beneficiamento de Gnus. Os Gnus são capturados, estocados em câmara fria (frigoríficos) e depois vendidos a preço de ouro para os demais crocodilos da comunidade. Como se trata de uma empresa de grande porte, várias outras empresas menores tiveram que ser constituídas, obviamente por alguns crocodilos mais ‘espertos’, para atender às necessidades da empresa maior com insumos, maquinário, manutenção, fornecimento de mão de obra, etc. Os crocodilos aprenderam direitinho a filosofia de Adam Smith, pois existe até gnus-chegando-outra-margemum banco de mão de obra de crocodilos desempregados, o que garante que os que estão empregados fiquem bem conformados e quietinhos e não façam muitas reivindicações. Foram instituídos também, cursos de capacitação, de modo que os crocodilos que quiserem ter um emprego e assim poderem comprar um suculento Gnu, terão que estar devidamente capacitados. Aos que não estiverem capacitados, resta apenas viverem de bico.


crocodilo5O Cacique e o Pajé

Mas como é que os crocodilos aceitaram toda essa inversão de valores em sua sociedade? Simples: por possuírem cérebros primitivos, são facilmente influenciáveis e sugestionáveis através do medo. Lembra-se do crocodilo com PHD em Teologia? Pois é… Ele se uniu ao crocodilo com PHD em economia e juntos criaram uma estrutura do tipo “Cacique e Pajé”. O cacique contratou os Hipopótamos para serem a polícia local. Hipopótamos, apesar de não serem carnívoros nem predadores, são uns bichos bem temperamentais. Uma mordida de um hipopótamo pode partir um crocodilo ao meio, então os crocodilos, que antes conviviam pacificamente com os hipopótamos num clima de respeito, agora tehippo-police-officer-with-gun_145115827mem os hipopótamos, pois os mesmos estão a serviço do Cacique. Já o Pajé, se encarregou da ‘lavagem cerebral’ dos crocodilos, tarefa relativamente fácil já que crocodilos não tem neocórtex, ou seja não pensam nem raciocinam. Eles tem apenas duas reações básicas ou emoções primitivas; medo e agressão. Então fica muito fácil inserir em suas mentes primitivas os conceitos de ‘pecado’, ‘inferno’ e ‘culpa’. Uma vez inseridos esses conceitos, fica extremamente fácil controlá-los e convencê-los a aceitar sua condição de ‘escravos’ em um sistema de proletariado. Uma vez inseridos esses conceitos, o medo se encarregará de mantê-los indefinidamente em sua estrutura psicológica e a agressão se encarregará de protegê-los de qualquer tentativa de ‘desconversão’. Fica fácil também, inserir em suas mentes primitivas o conceito de ‘esperança’ e para isso, nos dias de culto reptiliano, acena-se com ‘A volta do Grande Aligator’, um crocodilo de uma espécie divina, que um dia há muitos anos andou sobre as águas do velho Rio Nilo, caçava Gnus e os ‘repartia’ com os crocodilgreat-alligatoros menos favorecidos. Assim, os crocodilos permanecem conformados e aguardam resignadamente a volta do “Grande Aligator’ e, no dia em que Ele voltar, não haverá mais fome, nem miséria, nem escravidão, haverá um Gnu suculento para cada crocodilo. E ficarão esperando para sempre, pois uma vez estabelecida a estrutura do “Darwinismo Social” com base na filosofia de Adam Smith na sociedade dos crocodilos, não há a menor possibilidade de retorno, nem mesmo a longo prazo. As coisas tendem somente a piorar cada vez mais, mas enfim, existe a ‘esperança’. Dizem que a esperança é a última que morre e é mesmo, pois ela morre junto com o crocodilo resignado, que passou a vida inteira esperando a volta do “Grande Aligator”.


bolsa-de-gnusEvolução da sociedade

Enquanto isso, a sociedade dos crocodilos evolui. Agora já existe uma ‘Bolsa de Gnus’ com sede em ‘Nile Street’ e seus principais especuladores ganham muito dinheiro às custas do trabalho dos crocodilos ‘proleotários’. Como os especuladores de Nile Street tem gosto refinado, mandam buscar jovens ‘Jacaroas do Pantanal’ pelas quais pagam pequenas fortunas, apenas para fazerem sexo. Alguns preferem as orientais, por isso mandam buscar jovens crocodilas da Malásia. Os especuladores de Nile Street não comem Gnus, afinal Gnu é comida para pobrescrocodilo (1) crocodilos ‘proleotários’, então eles mandam buscar em qualquer lugar do mundo, não se importando com o frete, ‘patinhas de caranguejo’ a meros US$400 o prato, fora o frete. São também muito exigentes quanto à indumentária, pois ostentam caríssimos sapatos feitos de couro de… crocodilo! Suas fêmeas, também muito exigentes, usam bolsas e cintos de couro de… crocodilo! Esse pessoal de ‘Nile Street’, literalmente ‘tira o couro’ de seus semelhantes sem o menor pudor.


adam-smith


john-forbes-nash


WHERE DO OUR CHILDREN GO TO?

Human sacrifices

This is not a text of mine. This entry was transcribed (and translated into English) in full from the blog whose link is below. I make this publication for spreading this information as much as possible.

http://oamordolirio.blogspot.com.br/


oamordolírioCages full of children trapped like birds that can not defend themselves. The catch is made during the day. Use the appeal of false friendship. I suppose you know that children do not have the slightest responsibility for what happens to themselves. There is no karmic record that could support the argument that they are paying for something they did in the past. There is a lot of panic from these children. An unlimited fear. I can feel all the reaction in their bodies. The adrenaline running through the body, tension, rapid heartbeat. It seems that the hosts are very fond of it. They feel delighted with such a reaction. They feed on effluvia leaving form these children as we feed from water and food. They have an extremely refined sensibility. It’s like they have a lot of experience in what they do. For them no matter how the child is physically, but what it can provide energetically“. The more panic and fear better because it is food in greater quantity and quality. The most scared ones are the most tortured. The higher the torture the greater is food as the emanation of fear. Incredibly, they do not care about the pain. Incidentally, this is not what makes them move.


desaparecidos(1)If the child is stronger and exudes little afraid, it gets them less attention and for this child‘s death is quick. Usually, it is killed with a few hammer blows to the skull and now yes there is a lot of hate emanating from these satanic beings because for them this child did not serve the purpose. For them this child is a waste of time without end. Children who demonstrate they are the “weaker” so to speak, are seen as true gifts of the gods. And for these tortures have well developed refinements. Indeed these beings have real worship for these kids. They do not hate. Actually they feel for these children some sort of sick thrill of negative feedback. They are so strongly convinced that children are food as there is a strong belief that animals and fruits are food for us. So there is no feeling of guilt or remorse for what they do.


oamordolírioThe first torture is leaving them trapped. Always at the same time, nine brothers”, that’s how they see themselves, as brothers, go to jail of children, and recite the opening words. Consecrate to the gods the chosen children and thank for the food. They put clay on the eyes of the children and recite words that they have magical powers. They ask that children do not see more light but only darkness. They ask that they be victorious in this mission. They are receptacles of panic and fear in the world. I repeat: they are receptacles of panic and fear in the world. There is a great excitement in this rite at this very moment. Because children really panic and there is much weeping. The more panic most food and distorted force to these beings.


desaparecidas(3)Gigantic waves of panic of mankind unite by resonance to the waves of small children. They are pickup antennae. It is curious how they capture, intercept and store this emotion of fear and terror. The excitement comes in the form of feeling by the basic hakra. It is the reverse process of enlightenment when all chakras open like a flower. In this case, the chakras, if we may call it, of these beings, are systems captors of dark energy. They pick up, as said, fear and terror by the first chakra, the basic, and this feeling is very happy and horny. So they are encouraged to make such rites as well. First as a matter of survival, food, and second by pleasure and lust that it generates. After they capture this energy for basic mental pathway they store this energy in receptacles. So they can nourish themselves from this food if necessary.


oamordolírioThe energy is dark, sticky and shapeless. Vibrates and gets stored, but has a duration of 90 days. After this period it no longer serves. When children start crying, which is unbearable for them, not because they feel pity, but by pure feeling of annoyance, then this instant clay is placed in the mouth also of children, along with a tape. When children urinate, the urine is received with feelings of contentment and gratitude. Children nine in number are taken for the rite. There is a circle drawn on the floor. They are placed in this circle. In the center of the circle there dead birds in containers filled with blood. The stench is stunning, but it seems they are already used to it. The clay is taken from the children’s eyes so they can see. At this moment they become paralyzed and it seems that this sentiment was already anticipated. It’s like they know exactly what the kids will emanate step by step during the rite. The blood seems to acquire a specific shape and energy for them this time is greatly celebrated. They rejoice with a sense of paralysis. At this moment one of the members brings a basket full of live black rats. Children are trapped by the legs in straps so they do not run. The rats are sacrificed nine in number, one for each child. First cut the abdomen, then the heart and finally the head. This is the solar plexus, the heart and the crown. Attacked and disabled.


desaparecidas-EUAThe blood of rats is passed in the belly, the heart and the crown of each child. They will kill them! Each is placed in a sort of concave seat. The feet remain stuck in the ground and now the hands are stuck in the chair. It’s all done with a lot of concentration as if each step was extremely important to be followed. A being is positioned in front of each child. Songs are sung in consecration for food. There is a synchronicity in their gestures. Everyone does everything the same way and at the same time. First the child’s abdomen is opened. The blood is very celebrated, appreciated and adored. The whole time they sing and thank for that moment of extreme pleasure and joy. The gods are happy with them. This is the most shocking. There is no question for them of doing something permissible. There is a great wave of pleasure that invade them all by basic chakra. Then is given a blow to the chest and the heart is torn still hot and hold in hands. The feeling of pleasure is extremely brutal. The blood, heart, horny. This instant boner waves unite them and that becomes gigantic and again they capture those waves and put them in containers to store them.


oamordolírioThe horny waves are very individuals. It is as if they had a unique and distinguished record as the mark of our digital that is single. Horny waves they use are those that have no record of coupled love. It’s hard to describe, but it is what I feel. They are waves with different shapes. Therefore, Líria insists in mention that we are sacred and that sex is sacred. Because this conception generates a different wavelength form that can not be used by them. Libido waves used by them are those produced by sexual act devoid of love and afect or waves produced by the sexual act arising torture as: sadomasochism, rape, feeling of rejection by one of his companions, when one wants intercourse and the other does not. It is very important to get these details, because with our thoughts and feelings about the sex act we can help or not children, since ultimately we feed or not such beings. When finally children’s heads are cut, they are placed on a rotating wheel. They place a kind of liquid so that the heads do not decompose quickly. For nine days they will prayers“. Every day the wheel is turned and the head of one of the children is at the top of the wheel.


desaparecidos(2)At the end of nine days, the heads are placed on the floor in a circle and are burned. Then the cycle begins again. There are many types of rituals. This what has been described is only one of them. And from what I understand one of the strongest. The only way we end this is to expand consciousness. It is vibrate in love. It is explain to everyone that we are all interconnected. What we do to others we do to ourselves. The only way we end this, is invading the world with the wave of Unity. The Whole. Love. Unification. Behold the Mandala of Love Lily. Express intention of being swamped by the love of God. Express the desire to send love to all children. Send love to all beings without judgment. Share the thought form of Love and Light. Be aware of your choices. Be attentive. Choose wisely what you will read, watch, listen. The intent of the negative is so clear, manipulate, manipulate, manipulate. Be conscious every second. Protect your thoughts and your emotions. At the slightest sign of negativity, drive away the first thought, the first word and the first emotion that negatively vibrate. Do not entertain negative. The first negative thought generates the first feeling of fear and fear breeds panic, and panic is selffeeder for satanic forces. Use the tools that support Conscious Love. Do not allow yourselves to get into the energies of fear, panic and depression. Seek to love all children who you meet. Look directly at their eyes and emanate love for them. Emit vibration of love and security also for your own inner children. Redeem your children with love and sweetness. Do not be hard with yourselves, be aware. Do whatever you can to evolve. Expand awareness in the energy of love. Only then you will succeed in changing your reality. It is time the Love of Lily manifest among you and change the sad and awful reality of these children.

Liria


mabelMabel Cristina Dias 19 de dezembro de 2012 12:12 (transcribed Comment)

Some have said: This is too heavy to talk! Some stood up when the teacher‘s lecture touched on the subject of human sacrifice. Will it be less burdensome not know the reality and therefore not having to stand by the facts? If our children and grandchildren were the next victims then yes, we cry out for justice? While problems do not knock on our doors is more comfortable criticizing those who denounce and mainly propose a solution to the problem. How the values of certain people are reversed! Revolt against those who do something similar and omit by front of the suffering of children, women, animals, because “it’s not our problem, we can do nothing against it,” this can not be true blah, blah blah. Go to Spiritualist church or center once a week makes no difference to the Creator, if there is no love in our hearts and coherent action. Mabel


LILLY EXPERIMENT

The structure of sexual repression

Reich and Lilly, led in the early years of the 50, experiments that led to amazing discoveries about human sexuality. We know that they lived and worked at the same time and in the same country, but it is unclear whether one even has aknowledge the work of the other and vice versa, due to the fact that the entire Reich’s work was confiscated and incinerated, soon after he was led to prison, where he remained for about a year and a half and died of heart attack, a few days before receiving parole. But why Reich was persecuted and imprisoned and died, while his contemporary colleague stayed alive and continued research and died in 2001 of old age? Why does the main work of Lilly remained practically hidden, despite their very strong implications? Lilly is currently known as the father of NLP (Neuro Linguistic Programming) based on their findings during their experiments with dolphins. The experiment he conducted with monkeys is completely unknown and it is about this experiment that I write this article, as well as the experiments that were conducted by Reich. To be properly understood, regarding Reich‘s experiments, I must first describe the experiments of Lilly.


johnlilly3John C. Lilly 1915/2001

Was a physician and psychoanalyst. He made contributions in the fields of biophysics, neurophysiology, electronics, computer science, and neuroanatomy. He is the father of neuro linguistic. Its main experiment, with implications that involve deep human sexuality, is not even mentioned. If you want to know, need to do a ‘panning’ on the Internet to get this information: See the matter on the lik below:

http://67.55.50.201/lilly/mappingx.html

Well, someday I knew the Lilly’s page showing his work on monkeys would be taken off from Internet, so I saved a full copy in pdf format. Click in the link below: (09/03/2016)

Mapping of the brain – Lilly.pdf


macaco-facesBrain mapping

In his experiments, Lilly managed with great care and by the cost of much trial and error, enter deeply, around 610 wafer-thin electrodes in a monkey brain. So, it was possible, thanks to this experiment, make a complete mapping of a primate brain. Each tiny part of the brain could be accessed and stimulated by weak electric currents and a set of switches. After some time it was possible to learn how to control each part of the body of the monkey. He pressed a switch and the monkey moved a finger, another switch and the monkey lifted a leg, another switch and the monkey made a motion with its head. It didn’t take long to discover that by triggering certain switches, one could deploy’ primary emotions in monkeys, such as an irrational fear without any reason, or aggression, also for no reason. He also discovered that it was possible to deploy’ pain, lots of pain, and also it was discovered that it was possible to deploy’ states of joy or pleasure. All this through the 610 electrodes and a set of switches (keys) that made circulate weak electric currents at the monkey brain.


Fast-ejaculationDisconcerting findings

One of the most disconcerting findings that occurred in these experiments is that there is, in a primate brain, three independent subsystems with regard to the sexual issue: erection, ejaculation and orgasm. Each of these functions is independent of the other two; thus, it was possible, through the commands, producing an erection at a time, one ejaculation at another time and an orgasm in another time, without an interrelationship between the three functions. Each occurred separately and in time, with no need to share any of the other two. This is so confusing that even today, the vast majority of men even accept that possibility. Our taboos and prejudice firmly rooted and deeply embedded in our conscious and unconscious minds through the millennia of sexual repressiontell us that orgasm and ejaculation occur simultaneously and for that an erection is necessary. No erection, no ejaculation, no orgasm. However, it is a fact in anatomy that erection is linked to the circulatory system, ejaculation is linked to muscular and glandular system and orgasm is purely neural. This is perfectly understood in terms of anatomy, but it is a taboo when it comes to sexuality itself. Obviously we’re talking about males, but females also have erection (the clitoris is swollen), ejaculation (many women report a feeling of urinating at the time of orgasm and some ejaculate visibly) and, of course, orgasms. Of course the male monkeys were chosen for the experiment because of the ease of observation.


orgasmoSixteen hours of orgasm!

But science is science, and the scientist is a curious critter, so Lilly decided to explore the endless possibilities’ of his experiments: developed a small box with a button (remote) where the monkey pressing the button, had a full orgasm. But the system was programmed so that the monkey could only push the button once each three minutes, ie, having an orgasm, the monkey had to wait three minutes to have another. Guess what happened? The monkey was pressing the control button every three minutes for sixteen consecutive hours and then slept. After sleeping for about eight hours, the monkey returned to push the button for over sixteen consecutive hours without interruption and then slept another eight hours and so on. The team had to stop the experiment because the monkey could not remember more to feed itself. Just wanted to push the little button.


macaquinho-doenteIt was all in the name of science

After awhile, Lilly decided to change the experiment: through the electrodes, he implanted a very strong pain in the monkey and this, every three minutes, had the opportunity to stop the pain by pressing a button. But had to wait three minutes, like in the previous experiment. The monkey pressed the button and the pain stopped, but after a while it came back and he had to wait three minutes to be able to stop the pain. Interestingly, the monkey endured this torture for sixteen hours straight and then surrendered and died because he had no more strength to push the button and stop the pain. Then it was discovered that the limit to endure pain also was sixteen hours, as in the case of pleasure, an interesting coincidence. Then, in subsequentmacaco-alegre-vibração-animal-222 experiments, before the monkey would die as a result of the experiment of pain control was replaced by orgasm. And here also held another startling discovery: after some time having orgasms every three minutes, the monkey was fully restored in their health completely healed, leaving no sign of all torture and all the pain he had suffered earlier by nearly sixteen consecutive hours. That is, even though it was tortured near to death, it was enough that the monkey had access to the pleasure for it to be completely healed, without any sequel. And with a happy smile.


A note to animal advocates: I am personally against this type of animal experiments, but we must remember that the year was 1953 and at that time there were no such strong movements in defense of animals, especially when used in laboratory experiments.


reichWilhelm Reich – (1897/1957)

Austro-Hungarian, psychiatry, psychoanalysis, pedagogy, biology, anthropology, sociology, astrophysics, meteorology. Expelled from the Communist Party and the International Psychoanalytic Society. Was bold and daring in the face of the structure of sexual repression in society. Some years before his death, publishers have consistently refused to publish his books, on charges that they were obscene’. He was forced under the circumstances to create his own publishing house. His experiments involving human sexuality, eventually led him to jail in 1956, where he stayed a year and a half and died of supposed’ heart attack. The implications of their research and experiments, were so threatening to the ‘system’ that he was chased by no less than FDAA (Food and Drug Administration Agency). While he was imprisoned, his office and his publisher were hacked and all his work was confiscated and incinerated. Inquisition in very 20th century! And it did not happen in a communist or dictatorial regime, even under a civilian or military dictatorship country. This happened in the UNITED STATES OF AMERICA, the land of freedom of expression, the country of civil rights guaranteed in the constitution and whose constitution serves as a model and reference for everyone.


Orgone_Energy_Accumulator_right-angle_openThe orgone chamber

 Reich believed that the energy emanating from a person at the moment of orgasm was so strong, it would be possible to store it for later use, since it would have the proper technology. With his knowledge of electronics he developed an adapted box, which he called orgone chamber. It was like a large capacitor to store energy. Inside the chamber, one or more couples (those who participated in the experiment), had sex and then Reich placed within the same chamber a sick person, or weak with cancer. After some time spent in the orgone chamber, one showed a visible improvement, a significant reduction in symptoms. Even people with cancer experienced a noticeable reduction or even a setback in cancer evolution. See more details about the history of this hero on the following link:

http://en.wikipedia.org/wiki/Wilhelm_Reich

I strongly recommend watching the folowing video about sexual human instincts. You will see how we know so little about a very important function in our humanity: our sexuality.

https://www.youtube.com/watch?v=1OH-FN9942w – Sexual Human Instincts – Robert Winston


vespeiroStirring the hornet’s nest

It is not difficult to understand why Reich have been persecuted and arrested and have had all of his work burned. Are millennia of sexual repression through (intentionally) mistaken religious dogmas. And Reich was just messing this hornet’s nest. Not to mention the structure that governs secretly behind the state (fascist state), which Reich referred very properly and knowingly in at least two of his works, The Psychology of Fascism and The Function of the Orgasm. This structure of the “systemencourages sexuality without commitment, without affection, in the total expense to the family values that is the mater cell of any civilized society. See my articles THE FASCIST STATE and THE R-COMPLEX (REPTILIAN BRAIN).


apple_menos_bugs-enThe structure of sexual repression

Here one question: Do you, the reader, know why the monkey pressed the button continuously for sixteen consecutive hours? Because no one ever told him the story of the Garden of Eden‘. In its reduced intelligence, the monkey never did and never will make a mental and psychological association between sex’ and ‘sin’, because in its world there are no pastors, priests or clerics. But if anyone could shove down the throatsof the monkey this concept of sex associated with sin, he would immediately become afraid of pushing the little button. He would feel guilty. And even if someone tells him that to ‘save’ itself it should push the little button, it would strongly react saying it is a sin and, ultimately, would die because it will feel guilty and o-grande-macaco-rhesusundeserving of making use of sexual energy to recover from the illness, ie, sixteen hours of torture and pain for which it just passed. It’s just a matter of concept. Imagine then, if one could shove down the throatsof the monkey, its greatest Master, the Great Ape Rhesus’, died after enduring long hours of torture and suffering, and that He did it to free their brothers monkeys from all their sins, you can be sure that the little monkeywill suffer rather die than fight for life, and will do so to followits Master.


evaAs time goes by

As you can see by the above experiments, there is a very strong healing power in sexual energy, still untapped. The simple fact of exercise a healthy sexuality, free of prejudices, taboos and guilt created by the ‘system’, it is enough to the individual has a good health that will last until its old age. Of course, if it is properly explored, like other forms of health maintenance, how would the labs increase their profits? Can you see, dear reader, that who chased and arrested Reich was nothing less than the FDAA (Food and Drugs Administration Agency)? Does a government agency that regulates and runs the production and marketing of food and medicines have police powers? No, of course not, but you can get a formal charge against a citizen and then the police will arrest him for that, after all, whom the police serve? Especially when it has a fascist state in full operation acting covertly behind an illusory democratic state’. In this case, everything is possible. And do you know where the organs and institutions that form the fascist state are? Institutions like CIA, FBI, NSA, and in the case of Brazil, the SNI and other Intelligence Agencies, whose intelligence is at the service of corporations and banks. erotizacao-precoceInstitutions related to religions, such as Opus Dei and ISIS are also part of this structure. Ultimately, the fascist state, is the corporations and banks. Everything else is below them, and something, I repeat something that might threaten their exorbitant profits, is fiercely suppressed. And to keep their profits, anything goes. Even destroy the values of a society, destroy the family, foster conflict between classes, scrapping the education system, scrapping the health care system, foster (indirectly) violence, spread fear through the media, to promote (indirectly) all sort of sexual perversions, foster (indirectly) the use of drugs, turn children into adults (early sexualization) and infantilizing adults (psychological feature extensively explored by the mass media, propaganda and marketing). Worth even turn the whole country into a whorehouse, so if it makes more money.

See the picture above the strong appeal to child sexualisation.

Because innocence is sexier than you think“.

An indirect stimulus to pedophilia.


O EXPERIMENTO DE LILLY

A estrutura de repressão sexual

Reich e Lilly conduziram nos primeiros anos da década de 50, experimentos que levaram à descobertas surpreendentes sobre a sexualidade humana. Sabe-se que eles viveram e trabalharam na mesma época e no mesmo país, mas não se sabe se um deles chegou a ter conhecimento do trabalho do outro e vice-versa, devido ao fato de que todo o trabalho de Reich foi confiscado e incinerado, isso logo após ele ser conduzido à prisão, na qual permaneceu por cerca de um ano e meio e veio a falecer de ‘ataque cardíaco’, poucos dias antes de receber sua liberdade condicional. Mas por que Reich foi perseguido e preso, vindo a morrer, enquanto que seu colega contemporâneo permaneceu vivo e continuou as pesquisas até a idade avançada, vindo a falecer em 2001 de velhice? Por que será que o principal trabalho de Lilly ficou praticamente oculto, apesar de suas fortíssimas implicações? Lilly é conhecido atualmente como o pai da PNL (Programação Neuro Linguística) em função de suas descobertas ao fazer experimentos com golfinhos. O experimento que ele conduziu com macacos é totalmente desconhecido e é sobre esse experimento que vou escrever neste artigo, bem como sobre os experimentos que Reich conduziu. Para serem corretamente entendidos os experimentos de Reich, terei que descrever primeiro os experimentos de Lilly.


johnlilly3John C. Lilly – 1915/2001

Foi um médico e psicanalista. Ele fez contribuições nas áreas de biofísica, neurofisiologia, eletrônica, ciência da computação, e neuroanatomia. É o pai da neuro linguística. Seu principal experimento, com implicações que envolvem profundamente a sexualidade humana, nem sequer é mencionado. Se você quiser saber, precisa fazer um ‘garimpo’ na Internet para chegar a essa informação: Veja a matéria no link:

http://67.55.50.201/lilly/mappingx.html

Eu já imaginava que mais dia menos dia, a página do trabalho de Lilly seria retirada do ar. Mas eu salvei uma cópia da página em pdf. Clique no link abaixo: (09/03/2016)

Mapping of the brain – Lilly.pdf


macaco-facesMapeamento cerebral

Em seus experimentos, Lilly conseguiu, com muito cuidado e à custa de muita tentativa e erro, introduzir profundamente, cerca de 610 eletrodos finíssimos, no cérebro de um macaquinho. Foi possível, graças a esse experimento, fazer um completo mapeamento do cérebro de um primata. Cada ínfima parte do cérebro podia ser acessada e estimulada através de fracas correntes elétricas e um conjunto de interruptores. Depois de algum tempo foi possível saber como controlar cada parte do corpo do macaco. Acionava-se um interruptor e o macaco mexia um dedo, outro interruptor e o macaco levantava uma perna, outro interruptor e o macaco fazia um movimento com a cabeça. Não demorou muito para se descobrir que ao acionar determinados interruptores, podia-se ‘implantar’ emoções primárias no macaco, tais como um medo irracional e sem motivo, ou agressão, também sem motivo. Descobriu-se também que era possível ‘implantar’ dor, muita dor, mas também descobriu-se que era possível ‘implantar’ estados de alegria ou prazer. Tudo isso através dos 610 eletrodos e um conjunto de interruptores (chaves) que faziam circular pelo cérebro do macaco, fracas correntes elétricas.


EjaculacaoPrecoceRapidaDescobertas desconcertantes

Uma das descobertas mais desconcertantes que ocorreu nesses experimentos, é que há, no cérebro de um primata, três subsistemas independentes no que tange à questão sexual: ereção, ejaculação e orgasmo. Cada uma dessas funções é independente das outras duas; sendo assim, era possível, através dos comandos, produzir uma ereção em um momento, uma ejaculação em outro momento e um orgasmo em outro, sem que houvesse uma inter-relação entre as três funções. Cada uma ocorria separadamente e a seu tempo, não havendo necessidade de participação de qualquer das outras duas. Isso é tão desconcertante, que ainda hoje, a maioria absoluta dos homens sequer aceita essa possibilidade. Nossos tabus e preconceitos firmemente arraigados e profundamente inseridos em nossa mente consciente e inconsciente através dos milênios de repressão sexual, nos dizem que o orgasmo ocorre simultaneamente à ejaculação e para isso é necessário uma ereção. Sem ereção, não há ejaculação nem orgasmo. Entretanto, é um fato em anatomia, que ereção está ligada ao aparelho circulatório, ejaculação está ligada ao sistema muscular e glandular e o orgasmo é puramente neural. Isso é perfeitamente entendido a nível de anatomia, mas é um verdadeiro tabu quando se trata da sexualidade propriamente dita. Obviamente que estamos falando dos machos, mas as fêmeas também tem ereção (o clitóris fica entumecido), ejaculação (muitas mulheres relatam uma sensação de estar urinando no momento do orgasmo e algumas ejaculam visivelmente) e, obviamente, orgasmo. Claro que foram escolhidos os macaquinhos machos para o experimento, devido à facilidade de observação.


orgasmoDezesseis horas de orgasmo!

Mas, ciência é ciência, e cientista é um bicho curioso, então Lilly resolveu explorar as ‘infinitas possibilidades’ de seus experimentos: desenvolveu uma pequena caixinha com um botão (controle remoto) onde o macaquinho ao apertar o botão, tinha um orgasmo completo. Mas o sistema foi programado para que o macaquinho só pudesse apertar o botão a cada três minutos, ou seja, depois de ter um orgasmo, o macaquinho tinha que esperar três minutos para ter outro. Adivinha o que aconteceu? O macaquinho ficou apertando o botão do controle a cada três minutos por dezesseis horas consecutivas e depois dormiu. Depois de dormir por cerca de oito horas, o macaquinho voltou a apertar o botão por mais dezesseis horas consecutivas ininterruptamente e depois dormiu mais outras oito horas e assim por diante. A equipe teve que interromper o experimento, porque o bichinho nem se lembrava mais de se alimentar. Só queria apertar o botãozinho.


macaquinho-doenteTudo em nome da ciência

Depois de algum tempo, Lilly resolveu mudar o experimento: através dos eletrodos, ele implantava uma dor fortíssima no macaquinho e este, a cada três minutos, tinha a oportunidade de parar a dor apertando um botão. Mas, tinha que esperar três minutos, tal qual no experimento anterior. O macaquinho apertava o botão e a dor parava, mas depois de um tempo ela voltava e ele tinha que esperar os três minutos para poder parar a dor. Curiosamente, o macaquinho suportou essa tortura por dezesseis horas seguidas e depois se entregou e morreu, pois não tinha mais forças para apertar o botão e parar a dor. Então se descobriu que o limite para suportar a dor também era de dezesseis horas, assim como no caso do prazer, uma coincidência interessante. Então, nos experimentos posteriores, antes que o macaquinho viesse a morrermacaco-alegre-vibração-animal-222 em decorrência do experimento da dor, o controle era substituído pelo do orgasmo. E aqui também teve lugar uma outra descoberta desconcertante: após algum tempo tendo orgasmos a cada três minutos, o macaquinho ficava totalmente restabelecido em sua saúde, totalmente curado, não restando nenhum sinal de toda a tortura e toda a dor que ele tinha sofrido antes por quase dezesseis horas consecutivas. Ou seja, mesmo tendo sido torturado até a sua quase morte, bastou que o macaquinho tivesse acesso ao prazer para que ele ficasse totalmente curado, sem nenhuma sequela. E feliz da vida.


Um aviso aos defensores dos animais: Eu pessoalmente sou contra esse tipo de experimentos com animais, mas devemos lembrar que o ano era 1953 e, naquela época, não haviam movimentos tão fortes em defesa dos animais, principalmente quando utilizados em experimentos de laboratório.


reichWilhelm Reich – (1897/1957)

Austro-húngaro, Psiquiatria, psicanálise, pedagogia, biologia, antropologia, sociologia, astrofísica, Meteorologia. Expulso do partido comunista e da Sociedade Internacional de Psicanálise. Foi corajoso e ousado ao enfrentar a estrutura de repressão sexual na sociedade. Alguns anos antes de sua morte, as editoras se recusavam sistematicamente a publicar seus livros, sob a acusação de que eram ‘obscenos’. Ele foi forçado, diante das circunstâncias a criar sua própria editora. Seus experimentos, envolvendo a sexualidade humana, acabaram por levá-lo à cadeia em 1956, onde ficou um ano e meio e morreu de ‘suposto’ ataque cardíaco. As implicações de suas pesquisas e experimentos, eram tão ameaçadoras para o ‘Sistema’ que ele foi perseguido por nada menos que a FDAA (Food and Drug Administration Agency). Enquanto ele estava preso, seu escritório e sua editora foram invadidos e todo seu trabalho foi confiscado e incinerado. Inquisição em pleno século 20! E isso não aconteceu em um país comunista ou de regime ditatorial, nem mesmo sob uma ditadura civil ou militar. Isso aconteceu nos ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA, o país da liberdade de expressão, o país dos direitos civis garantidos em constituição e cuja constituição serve de modelo e referência para o mundo todo. Veja mais detalhes sobre a história desse herói no link a seguir:

http://en.wikipedia.org/wiki/Wilhelm_Reich


Orgone_Energy_Accumulator_right-angle_openA câmara orgônica

Reich acreditava que a energia que emanava de uma pessoa no momento do orgasmo era tão forte, que seria possível armazená-la para posterior utilização, desde que se pudesse dispor da tecnologia adequada. Com seus conhecimentos de eletrônica ele desenvolveu uma caixa adaptada, a qual ele chamou de câmara orgônica. Era como um grande capacitor, para armazenar energia. Dentro da câmara, um ou mais casais (os que participaram do experimento), faziam sexo e, posteriormente, Reich colocava dentro da mesma câmara uma pessoa doente, debilitada ou com câncer. Depois de algum tempo de permanência dentro da câmara orgônica, a pessoa apresentava uma visível melhora, uma redução significativa nos sintomas. Até pessoas com câncer experimentavam uma redução visível ou mesmo um recuo na evolução do câncer. No link a seguir, Laércio Fonseca explica de forma muito clara e bastante didática, detalhes do trabalho de Reich. É uma palestra de uma hora e meia, um pouco longa, mas vale à pena. Eu prefiro que você assista à palestra dele em vez de eu tentar escrever sobre o trabalho de Reich. Eu não conseguiria explicar melhor e com tanta clareza como o faz Laércio Fonseca. Esta palestra de Laércio Fonseca é a de número 6 de um conjunto de 8. Todas são bastante instrutivas e valem à pena serem assistidas.

https://www.youtube.com/watch?v=LRRA8qbjRJA – Palestra Laércio Fonseca

Recomendo também uma sequência de sete vídeos de Robert Winston, “Os Instintos Sexuais humanos” (apenas dez minutos cada). Ao assistir aos vídeos, o leitor perceberá o quanto nós sabemos tão pouco a respeito de nossa sexualidade.

https://www.youtube.com/watch?v=a7gHdgtzHwI – Instintos Sexuais Humanos 1/7

Perceberá também, que com raras exceções, não há sonegação de informações, na verdade, toda a informação que você procurar está disponível. O que existe é uma estrutura de distração e desvio de foco, que faz com você trafegue lado a lado com certas informações, durante anos, e nunca as encontre. Lembre-se de que para acessar uma informação é necessário primeiro que você saiba que ela existe e que saiba como encontrá-la. E é aí que a estrutura da distração e mudança de foco funciona com toda a sua eficácia. Veja o caso desse vídeo sobre linguagem corporal com dicas de sedução. Você verá que pelo estilo dos desenhos (ilustrações) trata-se de um material com mais de sessenta anos, talvez até mais de oitenta anos. E é tão atual como se tivesse sido feito essa semana.

https://www.youtube.com/watch?v=LZ-0Vd6VEBw – Vídeo sobre linguagem corporal


vespeiroMexendo no vespeiro

Não é difícil de se entender o porquê de Reich ter sido perseguido e preso e ter tido todo o seu trabalho incinerado. São milênios de repressão sexual através de dogmas religiosos (propositalmente) equivocados. E Reich foi mexer justamente nesse vespeiro. Sem falar na estrutura que governa ocultamente por trás do estado (estado fascista), à qual Reich se referiu com muita propriedade e conhecimento de causa em pelo menos duas de suas obras, A PSICOLOGIA DO FASCISMO e A FUNÇÃO DO ORGASMO. Essa estrutura do “sistema” fomenta a sexualidade sem compromisso, sem afetividade, em total detrimento aos valores da família que é a célula máter de qualquer sociedade civilizada. Veja meus artigos O ESTADO FASCISTA, A BIOQUÍMICA DO AMOR e COMPLEXO-R (CÉREBRO REPTILIANO).


apple_menos_bugsA estrutura da repressão sexual

Aqui cabe uma pergunta: Você, leitor, sabe por que que o macaquinho apertava o botão sem parar por dezesseis horas consecutivas? Porque nunca ninguém contou para ele a ‘Historinha do Jardim do Éden’. Em sua reduzida inteligência, o macaquinho nunca fez e nunca fará uma associação mental e psicológica entre ‘sexo’ e ‘pecado’, porque no mundo dele não existem pastores, clérigos nem sacerdotes. Mas se alguém conseguir ‘enfiar goela abaixo’ do macaquinho esse conceito de sexo associado ao pecado, ele imediatamente ficará com medo de apertar o botãozinho. Ele irá se sentir culpado. E mesmo que alguém diga a ele que para ele se ‘salvar’ ele deve apertar o botãozinho, ele irá reagir fortemente dizendo que é pecado e, no final das contas, irá morrer porque se sentirá culpado e não merecedor de fazer uso da energia sexual para se recuperar da enfermidade, ou seja, das dezesseis horas de tortura e dor pelas quais ele acabou de passar. É só o-grande-macaco-rhesusuma questão de conceito. Imagine então, se alguém conseguir ‘enfiar goela abaixo’ do macaquinho, que seu maior mestre, o Grande Macaco ‘Rhesus’, morreu depois de suportar horas a fio de tortura e sofrimento, e que ele fez isso para libertar seus irmãos macacos de todos os seus pecados. Pode ter certeza de que o macaquinho, coitadinho, irá preferir morrer sofrendo do que lutar pela vida, e fará isso para ‘seguir’ seu mestre.


evaO tempo não pára

Como se pode perceber através dos experimentos acima mencionados, há na energia sexual um fortíssimo poder curativo ainda não explorado. O simples fato de se exercer uma sexualidade de forma saudável, livre dos preconceitos, tabus e sentimentos de culpa criados pelo ‘sistema’, já é o suficiente para que o indivíduo tenha uma boa saúde que se estenderá até sua idade avançada. Claro, que se isso for convenientemente explorado, assim como outras formas de manutenção da saúde, como ficarão os lucros dos laboratórios? Cai a ficha para você, leitor, que quem perseguiu e prendeu Reich foi nada menos que a FDAA (Food and Drugs Administration Agency)? Uma agência governamental que regula e disciplina a produção e comercialização de alimentos e medicamentos tem poder de polícia? Não, claro que não, mas pode-se conseguir uma acusação formal contra um cidadão e então a polícia irá prendê-lo por isso, afinal, a quem a polícia serve? Principalmente quando se tem um estado fascista em plena operação agindo ocultamente por trás de um ilusório ‘estado democrático’. Nesse caso, tudo é possível. E você sabe onde estão os órgãos e instituições que formam o estado fascista? São instituições como CIA, FBI, NSA, e no caso do Brasil, o SNI e outras Agências de Inteligência, cuja inteligência está a serviço das corporações e bancos. Instituições ligadas à religião, tais como a Opus Dei e ISIS também fazem parte dessaerotizacao-precoce estrutura. Em última instância, o estado fascista, são as corporações e os bancos. Tudo o mais está abaixo deles, e qualquer coisa, repito, qualquer coisa que possa ameaçar seus lucros exorbitantes, é ferozmente reprimida. E para manter seus lucros, tudo é válido. Até mesmo destruir os valores de uma sociedade, destruir a família, fomentar conflitos entre classes, sucatear o sistema de ensino, sucatear o sistema de saúde, fomentar (indiretamente) a violência, disseminar o medo através da mídia, fomentar (indiretamente) toda a sorte de perversões sexuais, fomentar (indiretamente) o consumo de drogas e psicóticos, adultizar as crianças (erotização precoce) e infantilizar os adultos (recurso psicológico largamente explorado pela mídia de massas e pela propaganda e marketing). Parafraseando Cazuza, vale até mesmo transformar o país inteiro num puteiro, pois assim se ganha mais dinheiro.

Veja na foto acima o forte apelo à erotização infantil. “Porque a inocência é mais sexy do que você pensa“. Um estímulo indireto à pedofilia.


Lembram-se dessa letra de Cazuza dos anos 80? 

Lembra-se de como eram as coisas naquela época?

“Me chamam de ladrão, de bicha, maconheiro”
“Transformam o país inteiro num puteiro”
“Pois assim se ganha mais dinheiro”

“Eu vejo o futuro repetir o passado”
“Eu vejo um museu de grandes novidades”
“O tempo não pára”