Arquivo mensal: julho 2015

INTERPRETAÇÃO DE COPENHAGUE

UMA NOVA RELIGIÃO

Ah, a Ciência, essa nova religião, que tem por princípios a mensuração dos fenômenos bem como sua explicação e reprodução. Mas “ela” explica tudo mesmo? É interessante observar que a maioria das ditas “leis científicas” não passam de teorias, como por exemplo, a extinção dos dinossauros.

Até poucas semanas atrás, Plutão era um planeta anão (assim denominado por um “cientista” e corroborado por vários outros) congelado, “morto” (sem atividade nuclear), resumindo, sem grandes atrativos para a pesquisa científica. Grande engano: a sonda New Horizons evidenciou que o planeta não está “morto”.

Consta ainda na “cartilha científica” que se um fenômeno não pode ser reproduzido ficará apenas no campo da hipótese (teoria). Quem vai pegar um meteoro de pelo menos 10 km de comprimento e arremeter sobre a Terra?

Wilmut e sua pesquisa sobre os telômeros (“envelhecimento” celular) fez mais de 250 tentativas até que obteve êxito e, as mídias (sim, elas tem que lucrar, ainda que deturpem o real sentido da pesquisa) propagaram apenas a clonagem de uma ovelha (onde uma célula glandular mamária desempenhou o papel de óvulo).

O colisor de hádrons, após o experimento que, segundo “eles” (cientistas), evidenciou o Bóson de Higgs (chamado de partícula de deus pela mídia), foi intencionalmente “desmontado”, inviabilizando a repetição da pesquisa (?!)

Antes de Galileu dois corpos com massas diferentes “caiam” com a mesma velocidade, até que o mesmo comprovou essa “lei” como um mito!

Pitágoras não “criou” o teorema, mas para nós ocidentais, é ele que possui o crédito.

Cientista não é uma profissão, ninguém possui contrato de trabalho sob essa denominação. É uma generalização de muitos profissionais para uma vaga compreensão no campo do conhecimento.

A ciência de ponta não é disseminada nos meios de comunicação de massa. Não é divulgado nem seu esboço por envolver financiamento$ e patente$ (sem contar a ignorância das massas onde comentários chulos como “pra que enviar gente para o espaço?”, “desperdício de dinheiro” ou ainda “estão brincando de deus” evidencia a falta de conhecimento (ciência) que muitas inovações tecnológicas proporcionam como, basicamente, o aumento de expectativa de vida).

Muitos “cientistas” atropelaram o panteão galgando diretamente ao conceito de “deuses” (como muitos médicos no Brasil, afinal tem o “poder” de vida e morte sobre seus “cliente$”).

Se um fenômeno não pode ser reproduzido (segundo os moldes técnico-científicos) inadvertidamente terá a alcunha de “milagre”!

Silvio Alarcon


Coloquei propositalmente o título ‘UMA NOVA RELIGIÃO’ porque tenho observado nos fóruns, blogs e comentários em redes sociais que é exatamente assim que se comportam as pessoas que ‘acreditam’ na ciência. O ‘sistema’ passa uma imagem à população em geral de que a ciência sabe tudo, explica tudo. Grande mentira! A ciência não sabe tudo e menos ainda explica tudo, como você verá no texto abaixo. Muitos comentaristas ‘crentes’ na ciência comportam-se exatamente como religiosos ‘convertidos’: não ousam sequer questionar as ‘verdades científicas’. Acreditam piamente no que estudaram e, em qualquer comentário em um fórum ou blog, apenas repetem como papagaios, conceitos decorados, assim como crentes fanáticos repetem trechos decorados da bíblia cujo significado desconhecem, mas adoram repetir para passar a falsa impressão de que tem muito conhecimento.

Na verdade, tanto o crente fanático na religião, como o crente fanático na ciência, apenas ‘vomitam’ programações que foram previamente inseridas em suas mentes pelo ‘Sistema’ e o fazem de forma automática, seguindo o princípio psicológico de ‘estímulo-resposta’. Basta que você fale a ele alguma coisa com uma pequena inconsistência e pronto: se for um crente religioso ele ‘vomita’ trechos da bíblia em você, se for um crente na ciência ele ‘vomita’ em você conceitos científicos decorados e já há muito batidos.

Encontrei o texto acima em um comentário feito a uma de minhas postagens no Facebook e percebi que ele caiu como uma luva para servir de prefácio a este artigo sobre a ciência. Diz tudo o que eu queria dizer mas não tinha ainda encontrado as palavras. Parabéns, amigo Silvio
Alarcon, pela mente aberta, pela percepção e pelo discernimento.

Eduardo Lbm


Tiller-1-495x400Duas ciências

Nós temos duas ciências no planeta Terra. Temos a ciência dos que não podem perder seus empregos e temos a ciência feita por aqueles que já largaram todos os seus empregos e por não estarem sob a pressão de instituições, fazem ciência de verdade, pesquisam a fundo, mas por não estarem vinculados a uma instituição ‘oficial’, seus trabalhos não podem ser publicados, isso quando não são ridicularizados. Isso é uma mostra de como o ‘sistema’ é auto regulado. Ele impõe as ‘verdades científicas’ e se alguém contestar, sendo do meio científico, é ameaçado de perder seus títulos acadêmicos e não sendo do meio científico não tem sequer o direito de se manifestar.


campoO Campo Unificado

Se você verificar a ‘Interpretação de Copenhague”, você perceberá que a “ciência’ abriu mão de explicar determinadas coisas porque ela (a ciência) NÃO QUER explicar. Então, para ficar tudo bem, passaram a chamar essa recusa como ‘especulação’. E sabe por que a ciência se recusa a explicar certas coisas? Porque a simples aceitação de certos fatos como científicos obrigaria TODA a humanidade, a começar pelos seus líderes e governantes, a uma mudança total de postura. Vamos pegar um exemplo: Rupert Sheldrake postulou a existência do campo morfo genético. Em estando a teoria dele correta e caso ela seja comprovada como fato científico, passa a ser um fato científico TAMBÉM que todos nós e todos os demais seres vivos do planeta estamos intimamente conectados um ao outro e isso, por decorrência, nos leva à conclusão de que, se eu der um tiro em você, na verdade, estou dando um tiro no meu próprio pé, pois eu e você, bem como tudo o mais, estamos conectados, somos um.


Agora pense: isso seria interessante para os que vivem da guerra, planejam a guerra, fomentam a guerra, lucram (exorbitantemente) com a guerra, escravizam países com a guerra, vendem armamentos em função da guerra, reconstroem países (empreiteiras) graças à guerra? Então, torna-se muito mais fácil ridicularizar o cara que postulou isso, não é mesmo? Pesquise no google e veja quantos artigos você vai encontrar ‘metendo o pau’, ‘pixando, ridicularizando e até execrando Rupert Sheldrake.


quantum-suicide-9Ciência pela metade

Então, não existe ciência de verdade, não existe ‘honestidade científica’. Quando Hugh Everet III postulou sobre a teoria dos muitos mundos, ele foi execrado da comunidade científica, teve que ir trabalhar como frentista de posto de gasolina (metaforicamente falando). Hoje a ‘ciência’ já trabalha com a visão de muitos mundos, multiverso. Então, onde é que está a honestidade científica? E para completar, temos uma ciência que se restringe unicamente aos fenômenos e não busca investigar ou explicar as causas primárias. Ou seja, temos uma ciência pela metade. E isso não é um ‘abestado’ que acredita em teorias da conspiração que está dizendo. Isso está documentado. E o documento já tem quase um século. Foi conduzido por Niels Bohr e Werner Heisenberg e teve a participação de Podolski, Rosen, Einstein, Schrödinger e Plank. Abaixo uma parte apenas do texto:

Interpretação de Copenhague

“A Física é a ciência dos resultados de processos de medida. Não faz sentido especular para além daquilo que pode ser medido. A interpretação de Copenhague considera sem sentido perguntas como “onde estava a partícula antes de a sua posição ter sido medida?”.

86f98-atomo7Então, se não faz sentido especular para além daquilo que pode ser medido, então o fato é que não há interesse em se investigar a fundo  as causas dos fenômenos e suas implicações. E no caso do salto quântico em que uma partícula desaparece de uma posição e aparece instantaneamente em outra sem que tenha havido deslocamento mensurável, onde a partícula estava entre uma posição e outra? Essa pergunta a ciência se recusa a responder e para ficar bem na fita, chama isso de especulação. Quando a ciência se dispor a responder honestamente onde estava a partícula antes de ser medida, então eu vou começar a levar a sério essa ciência.


entrelacamentoQuanticoSem explicações

O salto quântico foi comprovado, isso é fato. Mas não foi explicado. Onde o elétron esteve, quando não estava no ponto A e nem no ponto B? É essa a explicação que falta. O entrelaçamento quântico, bem como a ação fantasmagórica à distância (o grande fantasma que assombrou Einstein) também já foi mais do que comprovado através de vários experimentos como os de Alain Aspect e os de Bell. Mas e dai? Onde está a explicação? Alguém explicou o fenômeno? Não, apenas confirmaram a existência do fenômeno. Eu quero saber a explicação do fenômeno. Além disso, há também as implicações resultantes de tal conhecimento. Nos livros de Física, quando chega nessa parte (entrelaçamento quântico) está escrito apenas que ‘isso é comunicação não local’ e ponto. Vira-se a página, novo capítulo. Morre o assunto. Quando eu tiver a explicação para esses fenômenos eu ficarei satisfeito com a nossa ciência.


Anúncios

BABEL (DUAL LANGUAGE)

IMG_2620-cut1A tower to reach heaven

Marduk had been cut out of the most choice domains. Brooding over his losses, he decided to take a little covert action and conceived a plan to use the Lulus against the other gods. Performing austerities – intense focusing disciplines – Marduk activated his cobra-like will. Using cristal and frequency beams, he placed thought forms into the receptive minds of the Lulus. Marduk’s magic was a great success. For the first time ever, the thought occurred to the Lulus that they could be just like us! They woke in the night with a vision of a great tower climbing to the sky, and with the knowledge to build it.

IMG_2620-cut2Uma torre para chegar ao céu

Marduk tinha sido expulso dos domínios que conquistara. Remoendo suas perdas, ele decidiu vingar-se e concebeu um plano para usar os Humanos contra os outros deuses. Com austeridade, disciplina e foco intensos, Marduk ativou a sua forte vontade reptiliana. Usando cristais e feixes de frequência, ele colocou formas de pensamento nas mentes receptivas dos humanos. A magia de Marduk foi um grande sucesso. Pela primeira vez na história, os Humanos foram tomados por um pensamento de que eles poderiam ser como nós (os deuses)! Eles acordaram no meio da noite com uma visão de uma grande torre que atingia os céus, e com o conhecimento necessário para construí-la.


people-crowd-600x450Lord Marduk giveth, Lord Marduk taketh away!

The Lulus seemed to come from all over Terra as they assembled on the plains outside of Babylon. They began to construct a tower to reach heaven where they would demand equality from the gods. Very dangerous! Marduk must have thought he could later remove such nonsense from their brains. The Lord Marduk giveth, and the Lord Marduk taketh away!

pUN1vrItN6oLorde Marduk dá, Lorde Marduk tira!

Os Humanos pareciam vir de todos os cantos da Terra e se reuniam nas planícies próximas a Babilônia. Eles começaram a construir uma torre para alcançar o céu, onde eles iriam exigir igualdade em relação ao deuses. Muito perigoso! Marduk deve ter pensado que poderia mais tarde remover tal absurdo dos cérebros dos Humanos. Lorde Marduk dá, Lorde Marduk tira!


tower_of_babel6Telepathic powers

In those times, the Lulus required only a very simple language. Because their vocabulary was limited to what was necessary for performing menial tasks and taking orders, complex concepts did not often enter their speech. But they still possessed remnants of their original telepathic abilities from the time of their harmony with Terra’s animals, and these telepathic powers were functioning in full force as the Lulus congregated and began mysteriously to build their Tower to Heaven.

ConfusionPoderes telepáticos

Naqueles tempos, os Humanos necessitavam apenas uma linguagem muito simples, uma vez que o seu vocabulário era limitado ao que era necessário para a realização de tarefas comuns e receber ordens. Conceitos complexos, normalmente não faziam parte de suas falas. Mas eles ainda possuíam resquícios de suas habilidades telepáticas originais oriundas do tempo em que viviam em harmonia com os animais da Terra, e estes poderes telepáticos estavam funcionando com força total o que facilitou com que eles se reunissem e começassem misteriosamente a construir uma torre para o céu.


deus_thumb[5]The wrath of Enlil

When Enlil heard of what the Lulus were doing, he hurried to the site and walked among them, warning them to stop. He told them this act was against the will of their creators, and they must stop or they would be punished. To Enlil’s amazement, they ignored him. It was as if they never even saw or heard him. Enlil’s heart sickened. Only a god could form this magic, and the only god he could imagine who was capable of doing such a thing was the scorned son of Enki, Marduk. Enlil knew he would have to take drastic measures and generate a force field greater than Marduk’s.

maxresdefaultA ira de Enlil

Quando Enlil soube o que os Humanos estavam fazendo, ele correu para o local e caminhou entre eles, advertindo-lhes que parassem. Disse-lhes que este ato ia contra a vontade de seus criadores e que eles deveriam parar ou seriam punidos. Para espanto de Enlil, os Humanos o ignoravam completamente. Era como se eles nem sequer vissem ou ouvissem Enlil. Enlil sentiu-se muito mal com tudo aquilo. Só um deus poderia formar essa mágica, e o único deus que ele podia imaginar que era capaz de fazer tal coisa era o filho desprezado de Enki, Marduk. Enlil sabia que teria que tomar medidas drásticas e gerar um campo de força maior que o de Marduk.


consequenciasThe divided humanity

Enlil destroyed the Tower of Babel with one particle beam. The Lulus never knew what hit them. Most died, those who were unfortunate enough to live experienced the radiation sickness. Plus, their memories were gone, wiped clean. Lulus staggered aimlessly, wondering where to go, or where they had come from. It was a pitiful sight. Each Lulu began to feel an invisible wall of separateness growing around his or her being all across Terra, cities andMaquiavel villages were inundated by Enlil’s frequencies of separation. And from that time on all the humans were encouraged to emphasize and develop their differences. New languages were created for each region. Races began to denigrate other races, and people were taught to fear each other. The Lulus learned to hate, and they began to fight among themselves.

fim-namoroA humanidade dividida

Enlil destruiu a torre de Babel com um feixe de partículas. Os Humanos nunca souberam o que os atingiu. A maioria morreu e aqueles que foram infelizes o suficiente para viverem, ficaram doentes e com sequelas da radiação. Além disso, perderam totalmente a memória. Humanos cambaleavam sem rumo, perguntando para onde ir, ou de onde eles tinham vindo. Era uma visão lamentável. Cada Humano começou a sentir uma segmentacao-de-mercadoparede invisível de separação em torno dele ou dela e por toda a Terra, as cidades e aldeias foram inundadas por frequências de separação produzidas por Enlil. E a partir desse momento todos os seres humanos foram encorajados a enfatizar e maximizar as suas diferenças. Novas linguagens foram criadas para cada região. Raças começaram a denegrir outras raças e as pessoas foram ensinadas a temer uns aos outros. Os Humanos aprenderam a odiar e começaram a lutar entre si.


inana-3Forgetting origins

To add to the confusion, each god was given many different names. Men fought over whose god was the true god, when often it was the same god, only named differently. I myself became Ishtar, Venus, Hathor, Aphrodite, Lakshmi, Rhiannon, and countless more. Dissension among the Lulus was fomented. Never again would your ancestors be allowed to unite against us, and never again would the human species remember that they had all come from the same source, a wild creature from Terra and my Great-aunt Nin.

return2Esquecendo as origens

Para aumentar a confusão, a cada deus foi dado muitos nomes diferentes. Homens disputavam entre si qual deus era o verdadeiro deus, quando muitas vezes era o mesmo deus, apenas nomeados de forma diferente. Eu mesma, recebi os nomes Ishtar, Vênus, Hathor, Afrodite, Lakshmi, Rhiannon, e uma infinidade de outros nomes. Discórdia entre os Humanos tem sido continuamente fomentada. Nunca mais seus antepassados foram autorizados a unir-se contra nós (os deuses), e nunca mais a espécie humana iria lembrar-se que todos vieram da mesma fonte, uma criatura selvagem da Terra e uma deusa.


inanna-returnsExcerpt from the book  Inanna Returns – VS Ferguson

Free translation to Portuguese by Eduardo Lbm

Trecho do livro ‘O Retorno de Inanna” de V. S. Ferguson

Tradução livre para o Português por Eduardo Lbm

 

NEGANDO NOSSA HUMANIDADE

EXTINGUINDO A NOSSA AUTO ESTIMA

Os parágrafos abaixo são resultado de observações pessoais. Não fui pesquisar a fundo para escrevê-los e creio que é desnecessário, pois os conceitos apresentados estão muito na cara. Qualquer pessoa com um pouco mais de experiência de vida e que já tenha vencido a lavagem cerebral imposta pelo sistema e pelas religiões, consegue perceber que há algo de muito errado nessa sociologia que nos é aplicada. Só não enxerga quem não quer enxergar e prefere ficar com as respostas prontas fornecidas pelo sistema.


voce-tem-culpa-de-que_TheWhiteLightPecadores imundos

A religião nega o nosso direito à vida, pois está sempre acenando com uma ‘vida melhor’ para depois da morte, sempre num tempo e lugar distante da realidade. Nega nossos valores humanos mais nobres pois nos coloca como seres carregados de culpa e pecado e desmerecedores da compaixão divina. Nega o nosso livre arbítrio e nossa capacidade de pensar e decidir, pois coloca que temos que ‘implorar’ a compaixão e a piedade de uma divindade que nunca vimos e nem nunca vamos ver, mas que tem o poder de decidir se somos ou não merecedores de alguma coisa. Nega a nossa divindade bem como nossa capacidade e poder criativos ao colocar que somos meras ‘criaturas’ criadas por um criador que pode tudo, sabe tudo e está em tudo, tem amor e compaixão infinitas, mas nos manda direto pro inferno se cometermos qualquer pequena heresia, do ponto de vista dEle, é claro.


hqdefaultMeros macacos

A história nega a nossa capacidade e inteligência, pois equipara nossos antepassados, e por extensão a nós mesmos no presente, a animais burros, toscos, rudes e primitivos que não sabem sequer construir abrigos, tem que viver em cavernas. A história nos coloca quase como seres inferiores aos macacos, pois os macacos vivem em bando, tem uma organização social, tem uma hierarquia, há um líder que é respeitado e são unidos nas questões mais importantes de sobrevivência, como a busca por alimento, proteção às fêmeas e aos filhotes, vigília para perceber a aproximação de predadores, etc.


ramadanAdoradores primitivos

A arqueologia nega aos nossos antepassados a capacidade de organização social, política, comércio, navegação, etc., pois nos coloca como meros adoradores bestificados e primitivos de algum tipo de divindade e cuja atividade principal, além da exigência de adoração, era ‘sacrifícios humanos’. Perceba que quase todos os achados arqueológicos são classificados como de cunho religioso. Se encontram algo parecido com uma mesa, esta provavelmente era utilizada para algum ritual de sacrifício humano. Se encontram algum objeto, este provavelmente era parte de algum ritual religioso. Se encontram alguma estátua ou estatueta, era alguma divindade adorada pelos ‘primitivos’ que ali viviam. Será que os povos antigos não tinham mais nada o que fazer na vida além de ficar o dia inteiro com a cara no chão e o cu prá cima adorando algum tipo de divindade? Não tinham comércio, não tinham navegação, não tinham organização social e política, não tinham outras formas de lazer, não tinham nenhum outro tipo de interesse? Suas poucas atividades se resumiam a adoração religiosa?


fetoSopa primordial

A ciência nos reduz a simples seres biológicos, um amontoado de compostos químicos baseados em carbono e com processos internos que se formaram e evoluíram por puro acaso. Nega portanto a nossa humanidade e nossos valores mais humanos, reduzindo-nos a aglomerados de células que evoluiu a partir de uma ‘sopa primordial’ sem que tenha havido um princípio inteligente e auto organizador no processo. O grande problema dessas explicações ‘científicas oficiais’ é que elas excluem um possível criador da equação. Elas também excluem a própria vida, como entidade autônoma auto consciente e inteligente, pois reduzem a vida a um aglomerado de células, compostos a base de carbono e aminoácidos. A vida não é um aglomerado de células constituídos de compostos orgânicos. Esses compostos formam uma estrutura que dá suporte à vida para que a vida possa se manifestar no ambiente físico, material, tridimensional. A vida propriamente dita está muito além da nossa compreensão e não temos ainda como explicá-la, mas reduzi-la a um aglomerado de células que se organizaram a partir de uma sopa primordial ou do barro é uma forma muito conveniente de endossar o materialismo puro.


joao-de-barroPolegares opositores

A teoria da evolução nega nossa humanidade, pois nos coloca como descendentes de primatas que evoluíram, aprenderam a utilizar seus ‘polegares opositores’ e agora, milhões de anos depois, aprenderam a construir abrigos. O curioso nessa colocação, é que os animais há milhões de anos sempre souberam construir seus próprios abrigos, sempre tiveram organizações sociais complexas. Toda aquela baboseira levantada por um sujeito chamado Darwin, na darwin-macacoverdade sua melhor utilidade foi servir para endossar a Teoria Econômica de Adam Smith, uma teoria que exclui da equação a palavra ‘cooperação’ e dá especial destaque à palavra ‘competição’. Teoria da Evolução e Seleção das Espécies, que foi proposta por um cético e ateu chamado Darwin e que por si só chegou a esta conclusão em uma época que não tinha ninguém com conhecimento científico à altura para contrapor seus métodos de pesquisa, a não ser a igreja com a “teoria divina” que por não possuir provas concretas fez com que os estudos de Darwin tomasse relevo com esta piada.


Resumindo: cada ramo das ciências humanas, Filosofia ou Religião tem uma teoria ou postulado que tem como finalidade primária diminuir ou minimizar os seres humanos e sua humanidade, bem como seus valores mais nobres. Os piores são as religiões: baseiam-se em supostos ‘escritos’ deixados no longínquo passado por um ser divino ou celestial ou ainda escritos ‘inspirados por deus’ cujo principal objetivo é incutir em seus seguidores o sentimento de culpa através do conceito de pecado e com isso extinguir no ser humano sua auto estima e seu senso de valor próprio.


PENSAMENTOS DA SEMANA

Pensamentos da semana

Os parágrafos a seguir, são textos meus, colocados na área de comentários do site ovnihoje.com onde sou participante e agora também moderador. Alguns textos são em resposta a um determinado artigo enquanto que outros textos são em resposta a comentários feitos por colegas. Estão relacionados a assuntos que estiveram em pauta nesta semana, de 19 a 25 de julho de 2015.


amebaO que é a vida afinal?

O grande problema dessas explicações ‘científicas oficiais’ é que elas excluem o criador da equação. Elas também excluem a própria vida, como entidade autônoma auto consciente e inteligente, pois reduzem a vida a um aglomerado de células, compostos a base de carbono e aminoácidos. A vida não é um aglomerado de células constituídos de compostos orgânicos. Esses compostos formam uma estrutura que dá suporte à vida para que a vida possa se manifestar no ambiente físico, material, tridimensional. A vida propriamente dita está muito além da nossa compreensão e não temos ainda como explicá-la, mas reduzi-la a um aglomerado de células que se organizaram a partir de uma sopa primordial ou do barro é uma forma muito conveniente de endossar o materialismo puro. Se estamos a discutir a possibilidade de vida em outros mundos, temos que mudar radicalmente nossos conceitos sobre o que é a vida.


10306245_472019476278832_5016119522359191296_nInvasão consentida?

Em resposta a um colega que tentou justificar a invasão de territórios e continentes onde antes habitavam os nativos locais na época das grandes navegações, por não haver um ‘estado constituído’ pelos nativos.

Interessante… Então quer dizer que em não havendo um estado constituído isso me dá o direito inalienável de dizimar os que ali se encontram? Então o fato de não haver tratados internacionais que regulem o comportamento potencialmente selvagem dos seres humanos, é motivo suficiente para se chegar em um lugar qualquer e roubar, escravizar, traficar, enganar e até assassinar os que ali se encontram? Tudo isso endossado por uma teoria que diz convenientemente que ‘os mais fortes, os mais adaptados, e blá, blá, blá… Por que será que nunca apareceu um cara no planeta que formulasse uma teoria que dissesse que o que deve prevalecer é a sabedoria, a compaixão, o respeito pelas demais formas de vida e pelas demais culturas? Ah, desculpe… apareceu um sim, mas foi a dois mil anos e não deram a mínima para o que ele falou, ficam apenas cultuando-o e adorando-o como seres primitivos e alienados, não praticam uma única palavra do que ele disse. Darwinismo social puro. Quem são os mais selvagens? Os dominados ou os dominadores que o fazem endossados pela lei do mais forte? Estamos falando de humanos ou de animais selvagens?


cuzao-atras-da-mesaLei do mais forte?

É muito mais fácil (e também conveniente) tomar para si uma teoria evolucionista que endossa a lei do mais forte do que tomar para si a lei do amor e da compaixão bem como a lei do respeito pelos demais. E por que é assim? Porque a lei do amor é ruim para os negócios. Ainda se fazem negócios (século 21) usando a lei do mais forte, onde prevalecem os predadores comerciais. E num ambiente onde prevalecem predadores e ainda assim se fazem muito negócios, quem é que quer saber de amor, não é mesmo? Acho que nem em dez mil anos isso vai mudar.


homem_primataNem primatas nem macacos

Comentário feito pelo colega de nick ‘NINGUÉM’ em resposta a outro colega sobre o assunto evolução e seleção das espécies.

Na Wikipedia são publicados artigos que nem sempre são teorias reconhecidas mundialmente! Ainda assim eu insisto, não sou descendente de primata nenhum! Não vou aqui me estender com os argumentos baseados em dados verdadeiramente científicos, norteados por pesquisas modernas feitas por cientistas de renome internacional, onde cada vez mais esta difícil sustentar esta baboseira levantada no passado por um ateu cético chamado Darwin, que por si só chegou a esta conclusão em uma época que não tinha ninguém com conhecimento científico à altura para contrapor seus métodos de pesquisa, a não ser a igreja com a “teoria divina” que por não possuir provas concretas fez com que os estudos de Darwin tomassem relevo com esta piada. Quero ver a hora que aparecer um ET verdadeiro com semelhança humana o que é que os DNAs irão provar? Irão provar a evolução Extra terrestre com macacos cibernéticos? hehehe


thumb-33920-james-webb-resizedOito bilhões por um telescópio

Oito bilhões serão ‘movimentados’ para se construir o telescópio High Definition (James Webb) para se buscar por planetas habitáveis. E quanto é que se tem ‘movimentado’ em recursos para tornar o nosso planeta mais habitável? NADA! Aqui, a vida vai de mal a pior. Dos sete bilhões de habitantes do planeta, cerca de dois bilhões vivem com menos de dois dólares ao dia e não são pobres nem miseráveis, são trabalhadores, trabalham diariamente das 8 as 23hs em regime de escravidão para produzir os ‘brinquedinhos’ que vão fazer a alegria dos outros cinco bilhões e ajudar a escravizá-los também. Isso para não falar dos milhões e milhões que estão abaixo da linha da pobreza smartphonecrowdedtrain(miséria mesmo) e vivem sem as mínimas condições de habitabilidade, sem saneamento, escassez de água e alimentos. É um planeta surreal, controlado por alguns poucos que detém o poder e adoram criar crises. Criam ‘bolhas’ de prosperidade e levam as pessoas a acreditarem e investirem pesadamente em equipamentos, maquinários, bens de capital, contratação de funcionários e nem bem começam a colher os primeiros resultados, os criadores da ‘bolha’ espetam-na com um alfinete e a estouram. Lembram-se de 2008? Ainda não nos recuperamos e pelo contrário a coisa está ficando pior a cada dia. Eu, pessoalmente, acho tudo isso uma grande hipocrisia.


11236548_10153171590208842_2396957116982929580_nMudanças climáticas?

Os que criam, fomentam e financiam as guerras são os mesmos que estão a financiar um empreendimento desse porte (construção do telescópio) nos bastidores. É tudo um jogo de cartas marcadas onde só quem perde somos nós, os sete bilhões que habitamos um planeta comandado por menos de mil pessoas inumanas. ‘Mudanças climáticas’ é um grande hoax. O clima do planeta sempre foi como é e sempre apresentou instabilidades. Não fosse assim, todos os anos seriam iguaizinhos, mas não são. A cada ano, mesmo tendo as quatro estações, o clima sempre é diferente do ano anterior e há anos em que ocorrem extremos (1965, por ex). Mas como só temos registros (documentação) de pouco mais de um século, ficamos assustados com alguns extremos e, é claro, os catastrofistas se aproveitam disso, já que a meta é disseminar o medo porque uma população com medo é mais facilmente controlável. Só a ameaça dos asteroides é real.


telepatia-1Telepatia

Quando vamos ligar para alguém e no mesmo instante em que começamos a digitar os números no celular ou no telefone comum, recebemos uma ligação e ‘coincidentemente’ era a pessoa para quem estávamos tentando ligar, isso é telepatia. Quando vamos falar algo para um amigo e um segundo antes de abrirmos a boca ele nos diz: ” É isso mesmo, já sei o que você vai falar e eu concordo”, isso é telepatia. Quando cometemos alguma transgressão no nosso relacionamento e chegamos em casa com carinha de cachorrinho que aprontou alguma e a companheira nos diz: “Você andou se passando com aquela sirigaita, não é mesmo?”, isso também é telepatia (as mulheres são especialistas nisso). Quando estamos tentando resolver um problema difícil e a solução aparece em partes, uma parte na minha cabeça e outra parte (que se encaixa perfeitamente) na cabeça de meu amigo e ao colocarmos nossas partes percebemos que a solução é ideal, isso também é telepatia. Há muitas outras situações que acontecem no dia a dia, mas não nos damos conta, por que fomos ‘educados’ ao longo dos séculos a negar nossas habilidades psíquicas e hoje, século 21, achamos que isso é coisa do outro mundo, que é uma habilidade 11141136_10153037596288842_2470630866402077744_nque somente poucos a tem, que é necessário um grande e demorado treinamento para se conseguir, que é coisa de louco, etc., etc., etc. Sempre tivemos essas habilidades e TODOS a tem, mas graças a uma negação sistematizada ao longo dos séculos (escolas, ensino acadêmico, religiões, distrações), nem sequer nos percebemos mais disso e quando chegamos a perceber algo, temos a tendência a achar que há algo de errado conosco. E depois ainda temos a ‘ciência oficial’ pesquisando uma coisa que sempre tivemos e dando um ar de sobrenatural à coisa.


vampiresEncosto, assombração, vampiro!

Esse tipo de ocorrência (telepatia) é mais forte entre pessoas que tem um laço familiar ou afetivo muito forte, mas pode também ocorrer entre amigos. Mas, falando do quando tem algo errado, esse tipo de ocorrência negativa (fora de tempo) é muito comum quando um dos lados (ou os dois) sofrem de algum tipo de psicopatia. Tenho o exemplo de um amigo meu, que tive que me afastar dele recentemente (uma das razões porque eu mudei para bem longe) que tinha o incrível dom de me ligar sempre nos horários mais inconvenientes. E ele sempre acertava em cheio. Eu podia ficar o dia inteiro ocioso, mas no exato momento em que eu sentava para degustar meu almoço quentinho, adivinha? Ele me ligava. E era sempre para pedir suporte técnico, uma ligação que geralmente demora muito e aí o almoço quentinho foi ‘prás picas’. Se eu iniciasse uma conversa com uma pessoa do sexo feminino em minha loja, ele podia estar extremamente ocupado e bem_f1_t489163_c586360120414_im3_ longe, mas por incrível que pareça, ele ‘brotava’ do chão bem na minha frente e ‘quebrava o barato’ da minha conversa, só prá pedir para eu tirar uma xérox de uma nota fiscal. Eu podia ficar por até três horas sem nenhum cliente para atender na loja, mas no exato momento em que eu começava a atender um cliente com um serviço grande e rentável, de novo ele ‘brotava do chão’ na minha frente e precisava de mim para um suporte técnico. O sujeito realmente era uma ‘assombração’. Não, na verdade ele era um encosto! O cara era realmente um vampiro psíquico. Com apenas uma ou duas palavras ele conseguia estragar o dia de qualquer pessoa e ele tinha uma predileção por fazer isso sempre pela manhã.


QUEM É O PERVERSO NARCISISTA?

Texto gentilmente cedido por “Relações Tóxicas e a Perversão Narcísica” (Página no Facebook). Os comentários em azul (itálico) são de minha autoria. Eduardo Lbm.  


Perverso-narcisistaO típico narcisista faz você parecer louco. Se você o confronta sobre algo que fez, dirá que você “tem uma imaginação fértil”. Aliás, esta é uma frase usada comumente por abusadores de todos os tipos para invalidar o depoimento das vítimas. Com frequência dirá que você não sabe o que diz, ou que não tem ideia do que você está falando. Quando confrontado, vai alegar que não se lembra nem dos fatos mais marcantes, simplesmente negando que tenham sequer acontecido, nem mesmo admitindo a possibilidade de ter esquecido.

A principal característica de comportamento do Perverso (Psicopata) é a prática de desqualificar o interlocutor em qualquer conversa. Não importa o que você diga ou como diga, não importa se o que você diz é verdade ou não, se tem fundamento científico, histórico ou filosófico, o perverso sempre desqualifica voccomportamento-castigoê fazendo parecer que você não sabe o que está dizendo e faz isso sempre através do deslocamento de estado de ego. Ele se coloca SEMPRE no estado de ego ‘pai crítico’ e coloca você automaticamente no estado de ego ‘criança adaptada submissa’ e se dirige a você como se você realmente fosse uma ‘criancinha’. A lógica disso é simples: se é uma ‘criancinha’ que está falando, então o que ela diz não precisa ser levado a sério. Ou seja, o que você acaba de dizer, não passa de ‘delírios infantis’. 


Esta é uma tática extremamente agressiva e especialmente revoltante chamada “gaslighting”, comum a abusadores de todos os tipos. Suas percepções da realidade são constantemente postas em cheque até que você perde toda a segurança em sua intuição, sua memória ou seu poder de argumentação. Isso o torna uma vítima ainda mais fácil para o abusador.  Narcisistas praticam o *“gaslighting” de forma rotineira. O narcisista insinua ou diz diretamente que você é dont-want-to-hear-anymoreinstável, que suas crenças são ridículas e que você é pouco cooperativo. Sim, você é hipersensível. Você está imaginando coisas. Você é histérico e completamente irracional. Você está exagerando, “como sempre faz” e que voltará a falar com você quando você tiver se acalmado e não estiver tão irracional. Com a maior normalidade, vai caracterizá-lo como neurótico, psicótico ou simplesmente LOUCO.


voce-tem-culpa-de-que_TheWhiteLightO abusador geralmente não tem nenhuma formação acadêmica, é pouco dado à leitura, tem um conhecimento limitadíssimo das coisas em geral, na maioria das vezes é um fanático religioso (ou se comporta como tal), mas finge muito bem que tem um vasto conhecimento em psicologia e psiquiatria, o suficiente para emitir diagnósticos que classificam você como louco, doente, ‘afastado da realidade’, etc.  Não, amigo, você não
está e nunca esteve louco, apesar de estar sentindo sua autoconfiança um tanto quanto prejudicada. E não, você não é culpado de nada. Faz parte das habilidades do perverso, fazer você se sentir culpado. Ele é mestre nisso. Ele abusa de você, o ofende moralmente e quando você obedient-business-man-remote-controlled-15838613protesta, ele diz que ‘só estava brincando’, mas que de agora em diante não vai brincar mais com você, afinal, você não aceita brincadeiras. Ou seja, ele ainda faz você se sentir culpado por ter protestado e por ter exigido respeito. Essa é a forma mais sórdida que o abusador utiliza para forçar você a diminuir o nível de exigência por respeito. Agora ele diz que não brinca mais, você se sente mal e acaba por afrouxar os limites, permitindo assim que na próxima vez ele ‘vá mais fundo’ no abuso moral e, depois de algum tempo, ele terá controle total sobre você.


arrogante2Depois que o narcisista tiver construído essas fantasias sobre suas patologias emocionais, ela contará aos outros sobre elas, como sempre, apresentando-se preocupada e declarando-se uma vítima. Você tem problemas mentais, é promíscuo (mesmo sem jamais ter traído) ou alcoólatra (mesmo sem por uma gota de álcool na boca). E ele sofre. “Sua insanidade e instabilidade faz da vida do narcisista um tormento” e por isso, todas as suas traições, os seus abusos verbais, psicológicos e físicos são justificáveis. Ele tem crédito com você.

Todo perverso é portador de um certo charme, de um certo carisma, e isso facilita muito para que ele obtenha informações valiosas a respeito de suas vítimas, pois em algum momento, as vítimas em potencial estarão confidenciando problemas ou dificuldades com o perverso. O bom perverso sempre levanta (e carrega) uma bandeira: ‘a do ajudar aos demais’. Ele realmente passa uma impressão de que ajuda de verdade aos que estão em dificuldades, mas o que ele faz na verdade, é criar ‘vínculos’ de dependência para poder melhor abusar de suas vítimas. E coitada da vítima que se permitiu ser ‘ajudada’ por um perverso: ela entrará numa situação de dependência tamanha que EMPRESTIMOdificilmente se libertará. Cada vez que tentar se libertar, o perverso, perversamente insinuará que você deve para ele e para se libertar, deve primeiro pagar o que deve. Enquanto você aceita ser ‘sugado’ em suas energias, você não deve nada. O perverso cria uma simbiose onde ele supostamente ‘ajuda’ você e indiretamente suga suas energias, deixando você sempre sem condições de sair dessa situação. Mas o dia em que você acorda e quer sair, subitamente, estranhamente, perversamente, você descobre que tem um débito quase impagável. Só lhe resta sair da vida da pessoa e abandoná-la, deixando tudo para trás, inclusive os débitos e créditos.


bride-shrinkE não, ele não fez nada. Ela não tem ideia de porque você está tão irracionalmente furioso com ele, afinal foi VOCÊ que o magoou terrivelmente. Ele acha que talvez você precise de psicoterapia. Ele gosta muito de você e faria qualquer coisa para te ver feliz, mas não sabe o quê, porque você sempre o afasta quando ele tenta ajudar. Assim, o narcisista simultaneamente se exime de qualquer responsabilidade por sua óbvia antipatia e falta de colaboração, deixa implícito que há algo fundamentalmente errado com você e por isso está tão furioso com ele. Sua “expertise” é minar credibilidade junto aos outros, pois representa o papel do parceiro/genitor/irmão/amigo abnegada tão perfeitamente que ninguém vai acreditar em você.

cabeca_vaziaComeça a ficar óbvio para você que está lendo este artigo, caro leitor, que a pessoa que se deixa envolver e dominar por um Perverso Narcisista é tão doente quanto o próprio perverso? Fazendo uma analogia ao Triângulo Dramático de Karpman, o Perverso Narcisista é o ‘perseguidor’ e sua vítima é a: ‘vítima’! É alguém cuja posição existencial é a de vítima, de coitadinha, de dependente, de quem está sempre precisando de ajuda e, é claro, o Perverso encontra aí um prato cheio. Só existe uma salvação para a vítima: Tomar consciência de suas fragilidades, de sua baixa autoestima, de sua necessidade de ajuda. Estudar, e muito. Só assim ela poderá se salvar. Não, não irá aparecer um ‘Salvador’ nessa história.


* O nome “gaslighting” se refere a um antigo filme de Hollywood chamado Gaslight, onde o marido tenta convencer a mulher de que ela está louca para interná-la e roubar sua fortuna. Uma das táticas era diminuir a iluminação (a gás naquela época) para confundi-la.