Arquivo mensal: janeiro 2016

ADMIRÁVEL MUNDO NOVO

cela-0002-foto-por-getty-imagesTeje preso!

Antes da revolução industrial, todos viviam em suas próprias terras (área rural) e uma parcela muito pequena nas cidades. Ah, e não eram ‘pobres’, mas foram assim rotulados por conveniência. Com o advento da revolução industrial, surgiu a necessidade de mão de obra nas fábricas, mas as pessoas, que viviam muito bem em suas terras, com qualidade vida razoável, retirando da terra o sustento e vivendo em condições confortáveis, NÃO QUERIAM ir morar em favelas em Bristol, Manchester, London e outras cidades recém industrializadas da Inglaterra para trabalhar em fábricas, marcar ponto das 7 as 5 e ter queíndice pagar para morar, pagar para comer, pagar para beber e, caso específico da região, pagar por aquecimento (calefação). Então, a Querida Rainha, ordenou que se confiscasse todas as terras de seus súditos, assim eles não teriam escolha e teriam que se deslocar para as cidades e trabalhar nas fábricas. Teve início aí, o primeiro êxodo rural. Muitos súditos, agora sem terras, se recusavam a trabalhar nas fábricas, pois consideravam isso uma afronta. Então instituiu-se a Lei da Vadiagem: “Não quer trabalhar nas fábricas? Teje preso! O que você prefere? Trabalhar na fábrica ou ir pra cadeia? Só tem essas duas opções. O que no final das contas dá no mesmo!


03151930_gLei de cercamento de terras

O Estado então, tomou posse de todas as terras e as distribuiu entre os ‘cupinchas’ do Reino. Criou-se então a Lei de Cercamento de Terras, como forma de evitar que os ‘insubordinados’ voltassem às suas terras e nelas se instalassem novamente, deixando as fábricas carentes de mão de obra. A partir de então, terra se tornou um bem comercializável, uma mercadoria. Antes disso, a terra era de todos, não havia proprietários. Mas daí em diante, quem quisesse uma11140367_1718945678335926_881251248267374044_n porção de terra teria que pagar por isso e, obviamente, teria que comprá-la de um dos ‘cupinchas’ do Reino que impunha condições para a compra. Essa Lei se espalhou e é aplicada no resto do mundo. Já reparou que quando você viaja, em ambos os lados da rodovia, as terras estão sempre cercadas? Dezenas, centenas, milhares de Km de rodovia e você não encontra um único Km que não esteja cercado. Quem são ‘os donos’ dessas terras todas? Você já se perguntou? A verdade é que não há donos, o Estado as cercou para que as pessoas fiquem confinadas nas cidades e aglomerações urbanas e trabalhem nas ‘fábricas’ para sustentar o “Sistema’.


locais-mais-populosos-do-mundo_1Vontade de voltar pra roça?

Embora a realidade atual tenha mudado um pouco, mas a verdade é que as pessoas continuam confinadas nas cidades e as áreas rurais são ‘zoneadas’ e os ‘súditos’ não tem escolha. Tem que morar numa aglomeração urbana, trabalhar todos os dias das 7 as 5Living-Off-Grid-01 para pagar contas, aluguel, água, energia e outras ‘comodities’ que só são necessárias por estarem morando em cidades. No campo, em uma pequena propriedade rural ou mesmo em uma pequena comunidade auto sustentável, as necessidades são bem menores e muitas dessas ‘comodities’ são dispensáveis. E assim segue a humanidade, escrava de um modelo sócio econômico que lhe foi imposto, empurrado goela abaixo, sem direito à escolha. E através de uma propaganda bem elaborada e sutil, foi disfarçado  de uma coisa muito boa. A mesma propaganda que incutiu na cabeça das pessoas o conceito de que ‘voltar pra roça’ é algo muito ruim, é coisa de gente pobre, miserável. É coisa de quem está falido, quebrado.


TheMarkOfGideonO mito da superpopulação

População total do planeta: 7.300.000.000 Habitantes. Superfície total da Terra: 510.000.000 Km²  o que resulta em 14 habitantes por Km² cabendo a cada habitante um sítio de aproximadamente 71.000 m². Imagine cada pessoa, cada adulto, cada criança, cada idoso, num espaço de 71 000 m², praticamente um Sítio, só para ele. E ainda as pessoas continuam acreditando nessa estupidez de que tem gente demais no mundo. Sim, sabemos que há grandes áreas do planeta que são inabitáveis, como desertos, geleiras, florestas fechadas, etc., mas ainda sobra muita área útil, muita mesmo. Quero que me expliquem por favor essa estupidez de que a Terra não suportaria tanta gente. O que a Terra não suporta é tanta gente aglomerada nas conurbações de grandes cidades, vivendo sem as menores condições de higiene e saneamento, quando há tanta terra livre e desocupada no mundo. Não existe gente demais no mundo, o que existe é uma meia dúzia de gananciosos que complicam tudo. hv4o1MLHá um cálculo que demonstra que é possível TODA a população do planeta caber na Nova Zelândia e a densidade demográfica seria praticamente igual à de Manhattan. Na foto ao lado há outro cálculo que demonstra que TODA a população do planeta caberia no Texas e para cada habitante uma área de 92m². Como as pessoas não vivem sozinhas, vamos tomar por base uma família de quatro pessoas e então teríamos cerca de 360m² por família o que corresponderia a um terreno de 15x24m. E ainda teríamos O RESTO DO MUNDO para plantar e alimentar toda essa gente. Então, pode-se ver que o problema não é e nunca foi superpopulação, mas de má administração (proposital) dos recursos. É óbvio que não há o menor interesse por parte dos que mandam no mundo em resolver esse estado de coisas, na verdade eles querem é que fique assim mesmo, pois assim dá mais lucro.


1837-heavy-trafficAglomerações urbanas

As consequências disso são visíveis, principalmente nas grandes cidades, que a cada dia se tornam mais e mais inviáveis. Congestionamentos monstros, trafego pesado, ocupação desordenada, falta de planejamento (plano piloto), crescimento desordenado, ocupação irregular e em áreas de risco, proliferação de favelas, problemas com distribuição de água e energia elétrica, dificuldades com o saneamento básico, enchentes, inundações, lixo por toda parte… Isso para não falar de criminalidade crescente. E a cada dia chega mais pessoas para moraremdharavi1 nas cidades, seja os que nascem nelas, seja os que vem de outros locais na esperança de conseguir melhores oportunidades. Felizmente nos últimos anos tem ocorrido uma espécie de êxodo ao contrário, em que mais e mais pessoas estão saindo das grandes cidades e indo viver em cidades menores. Já os que vivem em cidades menores buscam por localidades ainda menores e os que estão vivendo em pequenas localidades também não estão de todo contentes, o que é uma clara demonstração de que o modelo está errado, totalmente errado.


 12472250_1662951933985550_5604601977368127366_n


Anúncios