UMA HISTÓRIA MAL CONTADA

Genocídio como ferramenta de mudança social e política

Trecho extraído do livro “Deuses do Éden – William Bramley”

Os primeiros escritores humanos frequentemente retrataram os deuses tutelares da humanidade como criaturas sedentas de sangue inclinadas a uma violência excessiva. Tristemente, estas qualidades lamentáveis não melhoraram com Jehovah. Durante o caminho do Egito para a Terra Prometida, Jehovah exigiu obediência irrestrita dos hebreus. Muitos humanos se rebelaram e Jehovah reagiu com crueldade extrema. Jehovah reportadamente poussin-amalekitesmatou 14.000 hebreus de uma vez por desobediência. Ele usava uma variedade de métodos de matança, tais como disseminar doenças, exatamente como anteriormente outros deuses tutelares haviam feito na Suméria.

Quando os exércitos hebreus alcançaram Canaã, Jehovah apresentou uma inclinação genuinamente psicopática. Para estabelecer os hebreus em sua nova terra natal, Jehovah ordenou que os exércitos hebreus embarcassem em uma campanha de genocídio para despopular toda a região em suas cidades e centros. Sob a nova liderança de um homem chamado Josué, a primeira cidade a cair no holocausto de Jehovah do cerco de sete anos foi Jericó. Segundo a Bíblia, o exército hebreu, numerando dezenas de milhares, matou todo mundo em Jericó exceto, ironicamente, uma prostituta porque ela tinha traído seu próprio povo ao ajudar dois espiões hebreus:


E eles destruíram completamente tudo que havia na cidade, homens e mulheres, jovens e velhos, e touros, carneiros e asnos pela espada – Josué 6:21

Depois que tudo foi realizado:

Fire of London - 1666

…eles queimaram a cidade com fogo, e tudo que estava lá; somente a prata, e o ouro, e os vasos de cobre e ferro, eles colocaram no tesouro da casa do Senhor. – JOSUÉ 6:24

A cidade seguinte foi Ai, uma cidade com uma população de 12.000 habitantes. Todos os cidadãos de Ai foram assassinados e a cidade foi totalmente queimada. Esta selvageria foi perpetrada cidade após cidade:

Assim Josué matou todo o país das montanhas, e do sul, e dos vales, e dos riachos e todos os seus reis: eles não deixaram que sobrasse ninguém, mas destruíram completamente tudo que respirava, como o Senhor Deus de Israel mandou – JOSUÉ 10:40


O genocídio foi justificado ao dizer que as vítimas eram todas perversas. Isto não pode ter sido a verdadeira razão porque crianças e animais também foram assassinados. Dificilmente é justo massacrar uma cidade inteira pelos crimes de uns poucos; nem é certo matar uma criança pelos crimes de seus pais. O crime real, segundo a Bíblia, era que os nativos da região Armenia22hamidiantinham se tornado desobedientes. Os hebreus mais obedientes foram portanto eleitos por Jehovah para dizimar os nativos e substitui-los.

Hoje existe algum debate sobre se a assimilação dos hebreus em Canaã foi genocida como retratada na Bíblia. Modernas escavações arqueológicas de alguns sítios de batalha nomeados na Bíblia [tais como Hazor, Lachish e Debir] tem revelado a evidência de violenta destruição durante o tempo de Josué. Outros sítios tem mostrado evidência menos conclusiva. Seja qual for o grau em que a história da Bíblia da conquista de Canaã seja verdadeira, isto nos conta algo muito importante sobre genocídio: O genocídio frequentemente é um instrumento para promover uma rápida mudança política ou social ao rapidamente substituir um grupo de pessoas por outro. Por esta razão, o genocídio tem emergido como um importante fenômeno histórico em ligação com muitos dos esforços das Sociedades Secretas em trazer uma rápida mudança política e social.


As pessoas que estão familiarizadas com os ensinamentos morais judaicos podem ficar surpresas com o comportamento brutal atribuído a Jehovah e aos hebreus. Os mais famosos Scumbag_god_slaverymandamentos judaicos morais são, com certeza, os Dez Mandamentos, que reportadamente foram dados a Moisés por Jehovah durante o caminho dos hebreus do Egito para a Terra Prometida. Depois da morte de Moisés, Jehovah e os exércitos de Israel claramente violaram de grande maneira os Mandamentos. ‘Não matarás’ foi transgredido quando os hebreus massacraram os habitantes de Canaã. Os hebreus ignoraram o mandamento ‘não roubarás’ quando roubaram as cidades em agonia de seus metais preciosos. Eles não foram melhor quanto ao mandamento ‘não cobiçarás a casa de seu vizinho… nem qualquer coisa que seja de seu vizinho’ quando eles cometeram genocídio para tirar a terra de seus vizinhos.

Legenda: Matou milhares de crianças egípcias para forçar o Faraó a libertar seu povo da escravidão [Êxodo 12:29-30] – Imediatamente a seguir instrui seu povo sobre como criar e manter seus próprios escravos [Êxodo 21:2-7; Levítico 25:44-46]


Este comportamento é intrigante porque muitos mandamentos bíblicos estabeleceram um decente código de conduta. Por exemplo, os hebreus eram admoestados a nunca cooperarem com o malfeitor dando falso testemunho. Um outro mandamento ressaltava a importância da responsabilidade individual diante da pressão do grupo ao afirmar: “Você não deve seguir o grupo em fazer o mal” A tolerância para com os externos foi feita lei com, Você não deve vexar um estranho ou oprimi-lo… “ Geralmente exigiam que os ladrões pagassem restituição a suas soldier1vítimas. Como podemos responder pela existência de tais mandamentos humanos diante de tal comportamento bárbaro?

Um outro aspecto intrigante da história bíblica de genocídio foi o comportamento das pessoas sendo massacradas. Segundo a Bíblia, somente uma cidade se rendeu. O resto escolheu lutar e foi massacrada. Quando confrontado com um superpoderoso exército hebreu, e talvez até mesmo um deus trovejante no céu, não é mais provável que as cidades cercadas se renderiam, ou ao menos oferecessem esvaziar Canaã pacificamente? A Bíblia apresenta uma explicação interessante de porque isto não aconteceu:

Não houve uma cidade que tenha feito paz com os filhos de Israel, salvo os Hivitas, os habitantes de Gibeon; todas as outras eles tomaram em batalha. Porque foi o Senhor que endureceu os corações deles, que eles fossem contra Israel em batalha, para que ele as pudesse destruir completamente, e eles não pudessem encontrar nenhum favor, mas que ele pudesse destruí-los… – JOSUÉ 11:19-20

maxresdefault

A passagem acima afirma de Jehovah tinha manipulado os povos vítimas de forma que as vítimas pudessem ser destruídas. Esta é uma admissão surpreendente e importante, porque ela implica em que Jehovah ou outros tutores dominavam outras cidades na região e usaram a influência deles para manipular as pessoas para combater Israel. Esta não teria sido a primeira vez que isto aconteceu.


* Nem todos os mandamentos do Velho Testamento eram humanos para os padrões de hoje. A liberdade de veneração não era tolerada. A escravidão era uma instituição aceita e os hebreus tinham permissão para venderem suas filhas em escravidão. A forma de punição ‘olho por olho; dente por dente’ nem sempre resulta em justiça.

lasharchon66

Legenda: Jeová é o Lorde Arconte, um tipo reptiliano de predador… um ser extraterrestre cujo reino é um sistema planetário independente, fora do nosso sistema solar. Ele não é um “ser evoluído, muito menos mais evoluído do que os humanos, mas um ser demente e alienado, com superpoderes que o tornam uma deidade aos nossos olhos. Gnósticos concluíram que Jeová infectou a humanidade com a crença de que ele é um deus criador, ou melhor “O Deus Criador”, mas o fato é que ele não cria coisa nenhuma.

Para ler o livro completo, clique no link abaixo:

Deuses do Éden – William Bramley.pdf


1297457281591_ORIGINAL

Minha opinião:

Não consigo entender como é que as pessoas podem ser contra a violência, serem até mesmo ativistas contra a violência e os abusos físicos e psicológicos, serem contra as guerras, e ainda assim, louvarem a um deus que é a expressão máxima do abuso, da manipulação, da violência e da guerra. Dissonância cognitiva? Ignorância? Cérebro lavado? Falta de discernimento? Acreditar que Jeová é Deus e que ele é o criador de tudo, é o mesmo que acreditar que Rambo (Sylvester Stallone) é Deus. Como pode haver justiça no extermínio de cidades inteiras sob a alegação de que seus habitantes eram pecadores ou perversos? Como pode haver justiça quando esse deus usa de maquiavelismo puro para manipular os habitantes das cidades e levá-los a enfrentar exércitos contra os quais não tinham a menor chance? Como pode haver justiça quando, depois de totalmente exterminadas as populações das cidades, todos os seus bens foram saqueados pelos “escolhidos de deus”? Como pode haver justiça se depois de exterminada a população e saqueados os seus bens e valores, ateou-se fogo às cidades para que nada restasse de pé, nem mesmo a História dos que ali viviam? Isso é religião? Isso é deus? Que Deus? Esses são os valores que nos são transmitidos através da religião? Se você é a favor desse deus, se você louva um deus assim, se você defende que ao levar a cabo tais ações, deus tinha um propósito, que deus estava exercendo sua justa justiça, você é tão criminoso quanto, ou no mínimo, é um criminoso em potencial. Eduardo Scapelatto

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s